Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2012

Health... Love and Tons of Money!

Tudo de bom que o mundo tem para nos oferecer, é o que vos desejo, a todos sem excepção, mesmo aos que se afastam perante a incapacidade de amarem sem condições, aos que fogem das palavras porque as não sabem usar, aos que olham demasiado para o lado em vez de para a frente, a todos vós porque me fizeram crescer, aprender e amar-me ainda mais.



Sou um ser totalmente desprovido de maldade, de inveja, de rancores. Sou presente, uso as palavras para dizer a verdade, mesmo quando dói, quando tem por intuito acordar-vos de um sono no qual se  insistem manter, amo à velocidade que leio e devoro os livros que me acompanham neste percurso nem sempre ligeiro, e descobri que amar é fácil, e permite-nos receber duas vezes.

Respirem fundo, olhem para a frente com coragem, com fé e determinação, peçam aos Anjos que vos guiem os passos, sejam mais humanos, menos julgadores, mais disponíveis...

Desejo-vos não apenas 1 ano, mas muitos de imensa concretização, de potes cheios de mel, de amor, porque o…

Sonhei-te...

Hoje acordei contigo em mim, sonhei-te de noite e acabei a ter-te como das outras vezes. Eras tão real, tão atingível que te consegui cheirar, saborear, tocar...

Alimento-me do que já foste para mim, davas-me alento, renovavas os meus dias, acordavas-me para o sol que estava dentro de mim e do qual preciso para me sentir mais viva. Sou um ser do ar, do tempo quente que nos faz escorrer o suor pelo corpo lânguido, gosto dos dias longos, abertos, cheios de luz e na falta deles murcho qual flor que não foi cuidada, mas tu conseguias sempre fazer-me sorrir, ver o lado bom das coisas, das pessoas, conseguias que eu acreditasse que sou forte o bastante para viver sem ti, mas não quero, não quero que não faças parte do que entendo por vida, preciso de ti para que me apontes com segurança os caminhos que tenho que percorrer. Preciso tanto de ti...

Acordavas-me com um beijo no nariz que dizias arrebitado, largavas-me um sorriso tão intenso que eu sentia bem dentro de mim o quanto era a mulher…

2012 ... 2013

Estou em modo balanço!

Este ano que quase termina foi uma revelação para mim, trezentos e muitos dias de conquistas até de mim mesma. Incrível analisar o que já consegui até hoje.



. Já escrevi 2 romances.
. Iniciei os blogs, que acabei a fundir e dos quais tanto prazer tenho tirado. A minha paixão pelas palavras tem brotado diariamente, permitindo-me contactos novos e outras descobertas.
. Tive o meu primogénito de volta. A vida estava em stand-by sem ele.
. Comecei num novo emprego, o qual acumulo com a minha escola. Através dele tenho crescido e enriquecido experiências.
. Fiz a paz com o meu passado, deixei de permitir que me incomodassem. Eu sou a mais importante!
. Desfiz-me em lágrimas quando percebi que há amizades que nunca o foram, mas sobrevivi.
. Passei a aceitar que existe um amor que jamais se concretizará e que nem o tempo suavisa.
. Estou mais madura, mais mulher, mais bonita, sobretudo por dentro e isso obviamente vê-se por fora.
. Passei a acreditar que não há impossí…

Quando...

Quando estou mais frágil, quando os dias amanhecem cinzentos, quando sinto que não estou à altura do que é esperado de mim, como mulher e sobretudo como mãe, é quando te sinto a falta.

Sinto tanto a tua falta, não importa onde estás, quem amas agora, o que planeias e consegues concretizar, eu sinto a tua falta, sinto-te, quero estar contigo, quero o teu colo, ouvir a tua voz sonora e determinada que me recordava da minha força, a mesma que mantenho e vou buscar sempre que, como hoje, sinto tanto a tua falta que pareço vazia por dentro.

Permiti-me chorar, com lágrimas que fugiram de dentro, de onde sempre as escondo de mim e dos outros. Chorei-te, senti-te, chamei o teu nome e gritei-te que sinto a tua falta, hoje e todos os dias da vida que me resta aceitar. Assim, sem ti!

Já são treze!

São treze os anos do meu filhote do meio!

Eu, a quem ninguém visualizava como mãe, acabei a ter 3 filhos, todos rapazes. O primeiro chegou, após 10 anos de relação, planeado, desejado e obviamente muito amado.

O segundo, o meu "bébé" hoje, não foi planeado, apareceu e surpreendeu. Foi sempre demasiado precoce, começou a andar aos nove meses, falou muito cedo um verdadeiro papagaio. É o que me faz mais companhia, o que questiona tudo e todos. A parabólica cá de casa. Vivaço, esperto, ansioso por saber, um cómico nato, conta anedotas como ninguém. Enlouquece-me com o seu sangue quente, nunca tem frio, neste preciso momento está de manga curta, deixando toda a gente arrepiada.

Cada um dos meus filhos é um só, que me preenchem e enchem de orgulho. Hoje estou mais focada no filhote que há 13 anos quase ia nascendo no carro, com praticamente 4 quilos e 51cm. Todos os dias me testa até ao limite. Faz-me virar e revirar para o poder acompanhar, porque preciso de estar sempre um pas…

Onde estava bem agora...

Onde estava bem agora, onde era?

Num sofá, enroladinha a uma manta, na companhia de uma pessoa que fizesse vir ao de cima tudo o que sou e tenho para dar. Se assim fosse, poderia até dispensar o chocolate. Música boa, daquela que nos faz arrepiar a espinha, acompanhada por uns beijos quentes e  palavras bonitas sussurradas ao ouvido.

Com a chuva a cair, o dia a pedir languidez, amassos, muito amor, tocar e ser tocada... ai ai ai, eu bem que queria, eu e muito boa gente, estou certa.

Se puderem, façam o amor, muito, bom. "Enfrasquem-se" de mimos, usem e abusem das sensações, sintam-se vivos!

New Business!

Ontem decidi-me! Vou abrir um consultório sentimental. As pessoas, sobretudo mulheres, procuram-me com as mais diversas dúvidas e pedidos de ajuda, ou simplesmente para que as oiça e possa anuir ou dizer "nem penses em tal coisa", mas o certo é que de dia para dia, a necessidade de alguém que não nos julgue, mas que simplesmente se possa colocar do outro lado para melhor avaliar as situações, é crescente.

Não sei muito bem onde arranjo forças, tempo, "lábia", sim, porque eu falo o dia todo, em qualquer um dos empregos, mas pronto, sempre me consigo dar um pouco mais e estar para quem de mim vai necessitando.

Anda por aí muita gente só, mesmo acompanhada!

Tenho o corpo faminto...

Ando com as hormonas aos saltos, o meu corpo grita para que o cuide, está faminto, de carinhos, toque, de um simples mas forte abraço que seja. Esta noite até sonhei que alguém, um homem sem rosto me aninhava no seu peito, juro que senti a pressão dos seus braços fortes e acabei reconfortada, num sono mais profundo.
Até eu mesma tenho limites para o tempo em que fico sem companheiro, sem um outro corpo que se possa encostar ao meu e voltar a fazer de mim mulher!
Sinto saudades de fazer amor, de me arrepiar com as mãos que percorriam o meu corpo inteiro, do som dos meus gemidos, dos meus orgasmos múltiplos... estar só não fácil e chega a ser fisicamente doloroso. No entanto decidi que apenas voltarei a estar com quem me der tudo, e não apenas corpo, sobretudo alma, coração, entrega, vida!
É por querer tudo e tanto que estou para aqui a lamentar-me e a resistir à tentação de sair pela rua fora aos gritos. Oh well, some choices can be painful!

Gifts!

Fico sempre algo incrédula e a pairar no ar, quando oiço as amigas falarem dos presentes que os maridos, amigos, companheiros e até amantes lhes dão. Eu devo na verdade ser muito burra, ou pouco exigente, mas na verdade nunca esperei que me dessem o que quer que fosse. Quando desejo, compro eu mesma!

Agora venhamos e convenhamos, deve saber muito bem, a compota de morango (a minha favorita), ter quem nos conheça ao ponto de nos presentear sem que seja preciso pedir. Ter ao nosso lado um homem que nos surpeenda, que saiba ir à procura do que nos deixa os olhos a brilhar.

Que bom deve ser!

Please...

Dei comigo a cantar bem alto enquanto conduzia de volta para casa, após um dia muito longo de trabalho. A adrenalina invadiu todo o meu corpo e pude imaginar-me a dançar, descomprimindo de imediato e sentindo-me pronta para as restantes horas que sempre ainda me esperam. Aulas, filhotes, casa, vida!
Eis que no final da música acabo a sentir um enorme vazio, por não te ter por perto, não te saber, não te poder tocar, olhar, cheirar… e pronto, fiquei de novo cinzenta, triste e encolhida sob o que sou realmente, uma mulher só, que ainda não se encontrou, que não te ultrapassou, que não está a conseguir tirar-te da pele, do pensamento!
Gritei , forte, deixei sair toda a minha angústia e desespero, o mesmo que havia decidido não permitir de volta, mas de quando em vez, tu assolas-me, ensombras a minha existência, tornas inútil tudo o que construo com tanta entrega. Sem ti, nada faz realmente sentido. Odeio-te por me roubares minutos, horas da vida que quis partilhar contigo. Odeio-te tanto q…

Inside!

Hoje sinto-me assim!! Sensual, bonita, mulher...

Estás Aqui!

Estava ainda a tempo para a reunião, mas os minutos teimavam em correr à mesma velocidade que eu. Deslocara-me a Lisboa de comboio e apanhara o metro onde a Rute me esperava à saída da estação do Rato. Odeio não cumprir horários e assim que me sentei no carro, respirei fundo e relaxei por segundos olhando pela janela tantas outras pessoas de passos apressados, estranhos, corpos sem rosto!

- Podes ficar tranquila que ainda teremos tempo para um café. Estou ansiosa por te ter como colega de trabalho e de casa, isso é que vai ser farrar e tagarelar até altas horas da noite.

Largou-me uma gargalhada sonora e fez-me sorrir perante os momentos que antecipava de puro prazer e partilha. Já somos amigas faz mais de 10 anos e partilhámos sempre tudo nas nossas vidas. Quando o Rui partiu, após as minhas recusas repetidas em o seguir para Londres, foi a Rute que me deu colo e me segurou as mãos enquanto chorava de arrependimento. Deveria tê-lo seguido até aos confins do mundo, mas julguei-me for…

Dias...

O cheiro da chuva dá-me vontade de estar num lugar diferente, acompanhada, junto a uma lareira e com canecas de chocolate quente!

Na falta de companhia, podem ser os meus eternos amigos, os livros, uma manta quentinha, meias fofas e muitas almogadas em redor.

Agora fiquei nostálgica e algo lânguida! Queria colo e um abraço bem apertado...

Querubim da Família!

Já não escrevo há algum tempo eu sei, mas com as mudanças e com o trabalho a rebentar, as exportações estão em alta, quase não consigo um "niquito" para vos pôr a par do que se passa neste lado do meu mundo, mas tive que vir aqui agora, tive mesmo... recebi uma chamada de uma sobrinha que está no Qatar e que veio a Portugal por uns dias. Não a vou poder ver e ao novo rebento. Ohhhhhhh!!

Já sou tia-avó de três lindos meninos e uma menina, mas o querubim da família ainda não conheço pessoalmente e também não o poderei ver desta vez, que pena tremenda! Está lindo, é o que sei pelas fotos, e só podia, sendo filho de dois pais maravilhosos, sobretudo muito bonitos por dentro. Saírão à tia, está-se mesmo a ver. Eheheheheh!!

Sei de quem está feliz e aos pulos de contente. A avó materna. Que bom para ela poder ter ao colo a "nossa" fofura. Enche-o de beijos por mim!

"Amizades"

Pois é, a carência é mais do que muita, mesmo! Basta uma boa frase introdutória num site de encontros e de suposta "amizade", que começam a chover as mensagens. Credo homens deste mundo e do outro, o que andam vocês a fazer afinal? Não terão as mulheres que escolheram, ou simplesmente consideram que a vossa costela de poligâmicos vos permite mais do que uma, do que duas??

Continuo a achar surpreendente a vontade e a necessidade de manterem as "imaculadas" esposas em casa e de darem bicadinhas por fora, o que muito provavelmente lhes irá trazer dissabores, perigos iminentes, do género "Atração Fatal", para quem viu o filme.

Não se escudem por trás de chavões, de desculpas - "ela não quer ou não deixa" - terão que ser elementos de mudança, caso pretendam verdadeiramente mudar e serem felizes.

Eu vou continuar na minha busca pelo insólito, tentando perceber um pouco mais deste "maravilhoso mundo masculino", e vou-vos informando, claro es…

Bloody Thursday!

Mas que dia! Para além da chuva que cai a potes, acabei a atrasar-me para que os filhotes se despachassem para a escola, não conseguia abrir o carro, deixei o telemóvel em casa… bolaaaas!!
O bom de tudo isto foi ter ficado imediatamente desperta para a vida e como acredito que o universo nos dá sinais, talvez tenha sido ele a atrasar a minha saída para me evitar um mal pior. We never know!
Agora estar sem uma das minhas extensões, o telemóvel, sim porque sendo mãe, é impensável não estar contactável, saber da prole e responder aos “milhões” de chamadas diárias que me fazem, mesmo sabendo que estou a 15kms de distância.
Vamos ver como termina esta quinta-feira. Fingers crossed!

Tenho a alma Cinzenta!

Tenho a alma cinzenta e sabem o que me assusta? Isto terá a ver hoje especialmente com a chuva, fico mais receosa e o factor idade começa a ser um sério obstáculo. Assusta o que virá amanhã neste país à beira-mar plantado. Assusta ficar à espera e depois já não haver mais solução. Todos nós queremos que a conjuntura mude, que as coisas fiquem mais claras e que possamos voltar a trabalhar com afinco, mas com resultados. Começo seriamente, e já há algum tempo, a olhar para outras alternativas fora de Portugal. Uma vez que sou mãe de 3 filhotes, terá que ser para um lugar seguro, com condições mínimas, mas que sobretudo ainda esteja aberto para pessoas da minha idade, que poderão transmitir know-how, maturidade e capacidade de adaptação.

Não quero cruzar os braços e esperar, quero ter alternativas, criar possibilidades e bater asas se a isso for obrigada. O futuro está cinzento tal como o dia de hoje, mas porque receio pelos meus e quero poder continuar a providenciar tudo aquilo de que ne…

Quando é novo e assustador!

Estou com norboletas na barriga e não é por estar apaixonada, não, estou a começar a lidar com a bolsa de metais, a bolsa de Londres e tenho que estar atenta para saber quanto está a fazer o dólar e o metal, que neste caso é o estanho.

O boss já me ensinou como é, mas as primeiras vezes são sempre terríveis, dá um medo fazer asneira. Vou ter que esperar pelo meio dia, hora de Portugal, para que as minhas colegas do Brasil comecem a trabalhar e possam confirmar os valores, porque o cliente quer fazer fecho no spot e apenas elas poderão fechar, uma vez que somos produtores de estanho, temos mineradora em Ribeirão Preto/Amazónia. Complicado?? Ah pois, mas está bem, eu sou mulher, o que é que nós não conseguimos?

Sons e movimentos!

Nem vi que já batia a uma da manhã, mas nestes poucos momentos de que usufruí sozinha, libertei-me e dancei, dancei, até sentir todo o meu corpo vivo outra vez. A música, os sons, libertam o mais profundo de mim, trazem para a  realidade muitas vezes apressada, o que sei fazer de melhor. Acompanho com movimentos as batidas que mexem comigo, que me deixam com mais energia para recomeçar, para ser apenas a mulher, a que sente, a que ama e deseja com a mesma fúria, entrega e paixão com que dança.

Sem sons não seria nada, ficaria vazia, sozinha, incompleta. Como me disseram uma vez, "tu não danças bem, és a dança". Esta sou eu!

Did it!

Terá sido talvez das hormonas aos saltos, ou da "fome" mesmo, mas o certo é que já não aguentava muito mais, queria-te, desejava-te, olhar para ti deixava-me com o corpo descontrolado, quase em espasmos, e por isso perdi a vergonha e pedi-te.

- O que foi que disseste?
- Porque me estás a obrigar a repetir?
- Para te ouvir, diz, again!
- Quero-te, preciso de ti, se não te tiver vou rebentar de vontade.
- Uouuu, esperei muito por isto, mas já começava a duvidar. Ora então queres-me, deixa-me ver...
- Por favor Artur, não sejas mau, queres que te implore?
- Vais implorar sim, depois de me teres dentro de ti, depois de eu te deixar completamente satisfeita, cheia de mim, aí vais-me implorar que pare, mas eu vou-te ter uma e outra vez, até que te sinta estremecer, até que o teu gemer seja inaudível.

Pronto, de vez em quando é possível, é-nos permitido enlouquecer, perdermos a vergonha, deixarmos os pudores na gaveta e apenas estarmos onde queremos e precisamos.

God I needed a ma…

I am ...

Que dia fantástico, radioso. Usei e abusei de todos os minutos que tive. Sou uma control freak, não sei relaxar, nem ao domingo, mas soube-me bem fazer tudo o que planeei, eu sei que deveria sossegar, simplesmente aproveitar, mas não sei como e acho que não quero!
Caminhei muito, apanhei sol, olhei as coisas com prazer, vendo-as. Há alturas em que pareço estar a conhecer-me por dentro, em que aprendo a ser eu. O mundo é mesmo um lugar incrível. Estar viva, ter sonhos, ir atrás deles e conseguir dar passos, mesmo que pequenos, mas seguros, dá-me energias. Há quem diga que já tenho demasiada, mas na verdade não quero parar, quero ter este mundo e todos os outros que conseguir descobrir, imaginar...
God I´m so lucky!

Eu, nova e renovada!

Nunca fui dada a muito arrojo, ou a cometer loucuras em nome do amor. Passei demasiado tempo a medir, a pesar, a retrair-me, mas eis que de repente tudo muda. Levaste-me à praia num dia de inverno, frio, mas cheio de sol e de cores que se misturavam com o mar revolto. Passeámos de mão dada, em silêncio. Percorremos a praia até chegarmos à ponta e vermos as dunas que se erguiam imponentes, criando uma barreira entre nós e o mundo. Olhaste-me com ar malandro e cheio de desejo.
- Aqui? Não sei se sou capaz.
- Deixa-te levar, confia em mim, por favor meu amor, sou eu que peço!
Senti o teu peso, determinação e deixei que me conduzisses, esqueci-me de tudo e senti o meu corpo vibrar de prazer.
- Olha para mim, só para mim e farei de ti hoje uma mulher completa.
God it was amazing!
Jamais julguei poder desligar e deixar-me ir. Parei de me controlar, aceitei todos os prazeres, senti os teus beijos ansiosos que me fizeram-me perceber o quanto me queres e como és capaz de me transportar para outro l…

A nossa noite!

Ontem esmeraste-te, que jantar maravilhoso. Nem mesmo o frio conseguiu arrefecer a sensação de entrega e de cuidado com que me recebeste. Mandaste um carro buscar-me, a propósito, o motorista era bem bonito, e fizeste-me sentir uma princesa. Durante o percurso, que não pude ver e que não iria reconhecer de qualquer forma, ofertaram-me música suave, que me embalou e permitiu sonhar. Estava tranquila, mas ao mesmo tempo ansiosa. Nunca foste dado a surpresas, nem eu as esperei de ti, ter-te sempre me bastou. Estamos a festejar três anos em comum, tempos de muito mar revolto, mas de muita descoberta e creio termos entendido, finalmente, que navegaremos juntos, que já escolhemos o nosso percurso e que ele nos inclui, a ambos. A estalagem transpirava um ar senhorial, esperavam-me empregados de libré e de sorriso cúmplice. Comecei a assustar-me, e senti-me tremer, as pernas queriam ceder. Onde é que tu estás? Esperavas-me no cimo de uma escadaria de pedra, ladeada de candelabros com enormes vela…

Mulheres de vermelho!

O vermelho é por excelência uma cor quente, provocadora, que nos põe para cima e nos deixa poderosas. E ainda dizem que nós não mudamos…há pouco mais de 2 anos, eu jamais conseguiria pintar as unhas de vermelho, ou os lábios, ou sequer ousar no vermelho. Hoje já me sinto talvez mais arrojada, segura e eis que me vesti de vermelho, não foi integral, preto e vermelho.
Tenho as unhas de vermelho, os lábios, o top, os sapatos são pretos e vermelhos, e os acessórios também. You know what? Sinto-me confortável.
A forma como nos vestimos diz muito da nossa pré disposição para a vida, mostra aos nossos pares como nos sentimos, é a nossa montra. Cada vez mais a valorizo e percebo que deve e é o meu reflexo, o meu “eu” do lado de fora.
Recomendo. Usem vermelho!

Estou no bom caminho!

Estou a perder peso, ieiiiiii!! Empenhei-me mesmo desta vez. Alimentação saudável, controle do chocolate que tanto adoooooro, mudei para o preto, sempre faz menos mal bem como as minhas caminhadas. Tudo sincronizado com uma vontade férrea de voltar a estar por fora como me sinto por dentro, só poderá trazer bons resultados.
Estou para comprar uma bicicleta de casa, que irei utilizar logo que acorde, ginásio nem pensar, não tenho tempo nem para me coçar, assim sendo, há que encontrar alternativas.
Já fui rapariguita de vestir 32 e de ter 45 quilos, óbvio que jamais voltarei ao que era, mas actualmente, tenho algo que não tinha anteriormente e que adoro, seios, lindos, big enough! Portanto, há que estar feliz com o que sou agora e ajudar-me a melhorar, sempre.

It´s raining again!

It´s raining again! Estou a vê-la cair pela enorme porta que tenho no meu local de trabalho, e não fosse o “fresquinho”, gostava mesmo era de andar lá fora. Gosto do Inverno, da chuva, da sensação que nos envolve de recomeço. É o poder das estações do ano. Deixam-nos a sentir que algo de novo vem a caminho. Espero sinceramente que sejam sobretudo coisas boas para todos nós, para um país cansado de tanta burrice e total desgoverno.
Que venham chuvas fortes e lavem a corrupção e o desrespeito por quem lhes permite serem gente, e esses somos todos nós, os que querem cuidar das suas famílias, atingir objectivos, crescer e produzir. Queremos ser felizes e não ter que fugir das nossas próprias casas, da terra que nos viu nascer. Bolas, que nostálgica, será da chuva?

Na pele!

Estou outra vez com aquela sensação de falta, de vontade de ti. Eu sei, e digo-o a mim mesma diversas vezes, que se não me queres e não te esforças, te devo tirar da cabeça, deixar-te ir, mas como tudo na vida, falar é bem mais fácil do que fazer ou sentir.

Será que te fantasiei e tu nem sequer existes? Porque razão conseguimos sentir tanta química e sintonia por alguém, reconhecer os seus sons e gestos, se na verdade não forem assim de todo? São estas eternas questões que me matam e não me permitem avançar.

Queria ser capaz de despir a tua pele, tirá-la dos meus sentidos, preparar-me para outro amor, mas não queria ter que procurar, entrar na pesquisa, como se de um móvel se tratasse. Queria apenas encontrá-lo, olhá-lo como te fiz a ti, e sentir, saber e querer que passe a pertencer à minha rotina, que o seu cheiro, sabor e voz me passem a ser familiares e estejam presentes. Queria de novo um colo, um abraço, um homem que me deixasse segura e completa. Queria-te a ti, mas não consi…

Smallish!!

Yeah, right! A qualidade de vida nem sempre está nos meios pequenos, no demorar apenas dez minutos até ao trabalho, e no ter os hipermercados à porta de casa. Isso é o que se passa cidades de interior, onde supostamente é mais agradável viver, mas apenas e só para os que não têm fome de cultura, de projetos novos, de movimento, espetáculos, iniciativas que mobilizem as pessoas e lhes puxem pela criatividade e pela vontade de se manterem vivas.
Quero um workshop de escrita criativa, melhorar a minha aprendizagem de fotografia, ir a um espetáculo durante a semana e assistir a uma sessão de autógrafos de um escritor que admiro. Quero coisas a acontecerem, a possibilidade de instigar a minha capacidade de criar e de me sentir alive and kicking. Dança do ventre, pole dancing, estas são apenas algumas de muitas que gostaria de poder levar por diante, procurar, fazer e sentir-me mais eu, com as coisas que desejo, quero e sei que verei satisfeitas, mas… e o mas é a cidade pequena em que vivo, …

Meu!

Partilhar-te nunca foi fácil, nem mesmo só pelos olhares. És demasiado bonito, másculo, interessante, de sorriso fácil e de palavras quentes. Agradas às mulheres e os homens querem-te para melhor amigo. Quando saímos juntos nunca me pertences e o tempo que me devotas não me chega.
Hoje decidi que bastava e mudei o meu comportamento e interesses, os homens também me olham e as mulheres invejam-me. Sou bonita, sensual e sei-o. Não quero mais estar na tua sombra, quero ser eu, deixar-me de sorrisos forçados e de te partilhar. Se te querem que te levem.
Dancei, dancei muito, sozinha, com homens bonitos, available! Flirtei e deixei que me olhassem e admirassem, fui mulher, ousada e livre.
- Não te parece que estás a exagerar? Não tarda, acabo a ter que dar um estalo a um gajo.
- Porque farias tal coisa?
- Tens estado a provocar e eles andam a babar-se.
- Não me digas que reparaste?
- Estás a fazer-me ciúmes é?
Desta vez não terminámos como habitualmente. Levaste-me ao colo para aquela que foi uma…

Technology!

Hoje fui auditada, com mais 2 colegas, via skype. Com a evolução tecnológica podemos estar em direto, neste caso com o Brasil e poupar tempo e despesas. Foi uma estreia, mas correu lindamente e para além de ser uma auditoria aos sistemas de qualidade, foi tudo aligeirado, e mais tranquilos e menos formais ainda demos boas gargalhadas com os nossos colegas do outro lado do mundo.
Esta correu bem. Next!

Medos que os riscos carregam!

Conheci o Bruno através de um site de solitários, buscadores de alguma atenção e quiçá de uma amizade colorida, de relações físicas sem compromisso, uma vez que no mesmo apenas participam indivíduos casados e comprometidos. Tivemos uma empatia imediata e chegou a fazer 200 quilómetros para me conhecer, mas ironia, nem eu nem ele sentimos qualquer elan e foi pela minha amiga tatuada que ele deixou tombar a asa. Conseguimos falar de tudo, confidencia-me os seus momentos mais soturnos, num casamento feito com a mulher que escolheu e a quem adora, mas faltando-lhe algo que nem ele consegue explicar. Desaconselhei-o a arranjar mulher para as chamadas voltinhas, alertei-o para os perigos, mas decidiu ir em frente e teve momentos de verdadeira loucura, com muito prazer físico, desligado, pensava ele, mas com sensações que lhe permitiam encarar os dias mais ligeiro. Numa relação, as duas pessoas não estão sempre na mesma sintonia, ora um ora outro, pode passar, de repente, a querer mais, e a aco…