Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2013

Honestidade precisa-se!

É terrível verificar que não conhecemos MESMO quem tivemos do nosso lado, sejam amigos, companheiros, ou familiares. As pessoas tendem a revelar-se, mais cedo ou mais tarde e por norma nas piores ocasiões.

Sabem o que odeio mesmo e me tira do sério? A mentira e a dissimulação. Comigo é sempre real, ao vivo e a cores, sem dissimulações, e se não gostarem temos pena, mas tudo é preferível à mentira, ou à ocultação da verdade, como alguns tanto gostam de dizer. Sempre fica mais bonito e pomposo, mas é trampa na mesma.

O mundo já é de si tão inesperado, que a única coisa que restaria, deveria ser poder contar com quem supostamente julgávamos ter do nosso lado, mas...

Pois, eu sei, existem incapacidades naturais inultrapassáveis!

Isso é que eu adoro conselhos!

Isso é que eu adoro e fico mesmo maravilhada, quando oiço os célebres conselhos - "tens que cuidar do teu marido para que ele não te troque por outra". Oh PLEASE! Será por isso que não tenho marido? Tenham dó, estamos em pleno século XXI, o dar é mútuo e a possibilidade de ser trocado ou trocada, está em cada esquina. Já não passa só pela mulher, manter o casal equilibrado e feliz. Os homens que se cuidem e se deixem de manias, porque uma mulher mal alimentada... vai lá vai!

Eu sei que os ditos cujos se queixam das desculpas das suas ditas cujas, mas como eu as entendo, quando as oiço desabafar que só "lá vão" para as sujar", sem nenhum engenho ou arte, ou pior, vão lá do género, "vai ser bom, não foi". COELHOS?

Cuidado meus amigos, e vamos lá a mantermo-nos todos felizes, se puderem e souberem como, claro!

Escrever e escrever...

Não passo sem palavras, lidas ou escritas, mas acabo a depender demasiado delas, e a usá-las também, e por vezes, de forma exacerbada, julgando quem as não "coloca" tal como eu.

Sou uma metralhadora, não dou tempo a que pensem, tenho uma velocidade anormal que assusta quem tem que se confrontar comigo. Julguei que com a idade ficarei mais calma, capaz de condescender perante as incapacidades naturais dos outros, mas as palavras erradas, ou a falta delas, magoa-me mais do que murros no estômago, tornando-me deadly.

Qual é a solução? Para mim o afastamento, quem não consegue comunicar comigo, por favor, então que o não faça, mas que pelo menos seja capaz de se retirar com dignidade, dizendo tão somente, e olhem que estas são poucas e rápidas - "Não quero mais".

Simples não??

Livros e mais livros...

Fui à "caça" de livros em promoção e consegui 2 por um preço que até sinto vergonha de dizer. A crise terá coisas boas, mas também desvaloriza o que deveria ser sempre importante, adiante, pelo menos consegue-se ler mais!


Está a ser uma revelação, tanto desejo por aí escondido, as mulheres no seu pleno, sexualmente falando.



Como nunca leio só um de cada vez, este estará num nível mais romântico, tenho algumas expectativas, vamos ver, ainda não tinha lido nada desta autora.

Com os dias maiores, ler é o que me dá mais prazer, venham os livros, as palavras...

Mulheres...

O que torna uma mulher elegante, o estar, o vestir, o ser?

Acredito que seja uma combinação de tudo isto, saber estar com o que se é e com o que se veste, é o que nos pode diferenciar.

Ultimamente tenho visto mais mulheres assim, com uma aura, um bem estar notório, um olhar diferente, mais confiante.

Eu quero ser e estar assim, de bem comigo, e a passar aos outros bons fluídos. Afinal de contas, é para isso que estamos cá, porque se for para atrapalhar, não contem comigo.

Cuidar dos nossos!

Há 3 dias que o caminho é em direcção à propriedade onde está o meu cachorro, o Lucky. Tinhamo-lo em casa, num apartamento, ele é um podengo português, pelo de arame, mas ele precisa, e muito, de espaço, de correr, de se sentir livre.

O pai dos meus filhotes levou-o para a propriedade que tem, e com um companheiro, o Nero, um retriever, está feliz e de olhar vivo.

Ter um animal implica responsabilidades, vacinas, desparasitante, e tudo o que o mantenha confortável. Entretanto surgiu-lhe um fungo nas coxas traseiras e lá fui administrar-lhe medicação, qual filho, mas com certeza, qual um elemento da família a quem queremos saber bem.

É interessante e reconfortante o olhar que me oferece, de amizade e de gratidão, porque percebe, total e completamente, que estou aqui para o cuidar e manter feliz.

Do lado dele tenho o amor incondicional que me oferece, mais, muito mais, que muita gente é capaz, ou incapaz de fazer.

Há caminhos assim, mais longos...

A Bela e o Valério conheciam-se desde a faculdade e ambos haviam enveredado pelo mundo das leis. A química, a cumplicidade e o à vontade eram mútuos, faziam um par provável e onde estava um, estaria sempre o outro, no entanto nunca tiveram um relacionamento amoroso.

A Bela estava num casamento, sem filhos, e com um marido demasiado "into" a vida profissional, gostavam imenso um do outro, mas eles sim, eram um casal improvável.

Após uma reunião na firma de advogados, na qual Valério era sócio, o convite foi endereçado a Ana para que se juntasse e ela aceitou. Passaram a trabalhar mais de 12 horas juntos, entre reuniões, tribunais e viagens. Mais uma vez, tal qual na faculdade, passavam o tempo juntos, demasiado tempo, até que a relação de Valério, que era basicamente física, na qual se usavam um ao outro, sobretudo na cama, e na cama a Patrícia era imparável, não resistiu.

- Foi por minha causa que acabaste com a Patrícia?
- Nada disso, aliás, o que tínhamos nunca esteve def…

Living for me!

It sounds easier than it actually is, but living for me isn´t always possible. People tend to be too demanding, they want to manipulate our time and will, and we have to be really strong to prevent them from succeeding. Living for me is too lonely, even when everybody eles seems to be around. living for me reminds me of how I ended up beeing the second choice.

Sometimes I feel like it´s been too long since I started walking on my own, but other times, I feel like an abandoned teenager, struggling to find my own place. I am taking baby steps towards my freedom, Let´s see when I´ll really get there, because freedom comes with the desire to choose us before any other, and when we´re not ready, loneliness invades both heart and soul.

Living for me, but having you around would be just perfect...

Rossana!

Não é uma mulher de beleza invulgar, mas destaca-se por algo, tem uma aura, um sorriso de confiança inabalável, veste-se bem, cuida do corpo e da mente, enlouquece os homens!

Dizem que é ela que os escolhe, é ela quem lhes aponta o dedo, e os chama para o que sabe e gosta de fazer. Rossana é insaciável, predadora.

Nunca se casou, vive para a profissão, trabalha como gestora de eventos, e é das mais bem sucedidas. Fazem "filas" para conseguir algo organizado por ela, e os eventos são sempre comentados e falados durante semanas a fio.

Rossana tirou 2 dias de férias, próximos do fim-de-semana e resolveu "caçar", literalmente assim, o Artur da financeira.

- Quem é que ela inda não tinha comido?
- Não fales assim, Ana.
- Não falo porquê? O que eu não entendo é porque vão todos, porque se babam para serem escolhidos, no final ficam sem cabeça, como faz a viúva-negra após o acasalamento.
- Não sejas rancorosa, ela não obriga ninguém, e os atributos devem falar mais alto.

Como confiar outra vez?

 Como confiar outra vez?

Quando se perde a confiança, metade de nós passa a não conseguir distinguir a outra metade. Quem é que gosta de ter que olhar de outra forma para alguém em quem confiava? A sensação de estar sempre de pé atrás é totalmente fora do natural. Ter que procurar olhares dissimulados, ouvindo uma cor e vendo outra, fragiliza-nos.

Levamos anos a armazenar sentimentos profundos, a querer alguém por vezes mais do que a nós mesmos e de repente, essa mesma pessoa, num único segundo da nossa vida, deita tudo a perder, destrói a nossa fé nos humanos, no mundo e a nossa vida nunca mais volta a ser a mesma.

Eu sou o ser mais descomplicado, distraído e desligado das maldades do mundo, mas se me fizerem duvidar, suspeitar, ou olhar duas vezes, eu mudo por dentro, fecho as portas aos sentimentos e deito fora as chaves, por isso entendo perfeitamente os que acabam por desistir de uns quantos e parar de confiar. O meu conselho passa por deixarmos correr as águas, porque elas lavar…

Uouuu, what a look!

We had already seen each other, more than once, actually, but today...

Today I think I really saw you, and the way your eyes stared, I felt you also looked back!

What changes people´s feelings, attitudes, likes or dislikes? I have no idea, and that will remain a total mystery to me.

What a look we gave each other today, I felt, deep inside, that we can go much further than that.

I am ready, I hope you are, too!

Sexo no intervalo do almoço!

Quem já o fez, onde e com quem?

A Ana Cláudia ultimamente anda mais arrojada, desde que as coisas se acertaram com o colego Júlio, que usam e abusam do desejo que não conseguem controlar.

Todos os minutos são bons. Todos os lugares possíveis, aliás, não deve existir um cantinho do escritório que ainda não tenha sido usado.

O que os move? A adrenalina, dura e pura, porque ambos sabem o que não querem, e não querem mais do que sexo. PERIOD!

Os respectivos chefes dizem que os acham mais dinâmicos, motivados, pro-activos.

Porque será? Ahahahahahah!!

Tendências ou escolhas sexuais?

É com enorme à vontade que hoje ouvimos falar de pessoas com diferentes orientações sexuais!

Acho óptimo que se afirmem, que saiam do armário, que busquem a felicidade, que deixem de ter medos, e reconheço-lhes a coragem e a capacidade de ficarem acima do que pensam os outros.

Realmente só temos esta vida, e há que vivê-la o melhor que podemos e sabemos, porque no final, o que contará será o que retirámos de tudo o que fizemos, melhor ou pior, mas com convicção.

Como se sentirá quem de repente se vê confrontado com uma outra forma de estar na vida? Forma essa que vai, inevitavelmente, chocar quem os rodeia, familiares, amigos, colegas...

Passo desde já a todos os "heróis" e "heroínas", a minha força e desejo-lhes coragem e convicção. Sejam felizes e façam os outros felizes!

Z World War!

Fomos ver e adorámos!

Gosto particularmente dos filmes onde o herói é "humano", onde para além de mostrar bravura e coragem, também demonstra medos e não faz coisas totalmente absurdas.

Foi um bocado bem passado, correspondeu às expectativas, teve acção  e drama suficientes, e os filhotes então, esses deixaram-se deslumbrar.

Sabem o que mais me impressionou? Como mãe o que sempre me deixa assustada, é que aconteça algo que me impeça de proteger os meus filhos, vá lá longe o agoiro, mas em situações limite, questiono-me sempre do que poderei fazer, e como, para que nada de mal lhes aconteça. Espero, muito sinceramente, nunca ter que presenciar algo demasiado extremo, quero continuar a poder queixar-me da minha vidinha mundana, de saber onde está a minha prole, e se está bem.

Enquanto formos vendo tudo isto em filmes...