Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2014

Planos?

Yeah, right!



Quando achava que estava no caminho certo, mas na verdade estou mesmo, apareces tu e fazes-me repensar as estratégias. Não significa que vá mudar o foco, mas já me senti balançar por diversas vezes, porque ir pode significar "perder-te" outra vez.
NADA, mas mesmo nada é pacífico comigo, nunca tenho apenas uma de duas escolhas, comigo vem tudo aos supetões a exigir que nunca me distraia, que siga pelo que antecipei, porque se vacilo, morro.
Planos tenho imensos, aliás, acordo diáriamente a planear planear-me, a anotar os avanços e a analisar os recuos, mas nesta altura, sobretudo agora, não posso perder a racionalidade e devo continuar a cuidar dos meus, indo até para o final do mundo se preciso fôr, mas sentindo-me apertar por dentro.
Eu peço com clareza, isso já sei, mas continuo sem acertar nos momentos, ou será que acerto mesmo e ainda não o sei? Good question!
Se é mais um teste, à minha perseverança, então já sei que vou passar, não sem uns trambolhões e n…

Quando se entende!

Decidi que quero conhecer quem me conheça e que preciso de uma identidade que inclua a outra metade de mim!

Cansei-me de achar que me basto, que sou tãoooo forte que me sobreviverei, porque me sabe bem ter-te agora, depois de ter sonhado tantas vezes. O nosso percurso ainda vai no início, mas sinto, tal como tu, que só pode dar certo, porque o desejamos, porque nos sentimos,  porque nos reconhecemos.

Já estive lá, no lugar confortável em que o que eu dizia encaixava no que o outro pensava, em que os meus planos eram partilhados e os sonhos sonhados a dois, antecipando a vida que desejávamos ambos. Já soube o que significava não me preocupar demasiado com os outros, com a forma como me olhariam, porque apenas um olhar me fazia e deixava bem, por isso, e já tendo provado o mel, quero repetir, agora contigo, retomando o que parámos de perseguir, deixando de ter medo.

A vida é mesmo feita de ciclos, de períodos que apenas farão sentido quando chegarmos lá. Eu sei que a estação do ano mud…

Gosto...

Do que me fazes sentir, da forma como toda eu te pertenço e não tenho como te fugir!

Gosto que me deixes tão viva, sempre que me tocas e que estás por perto, gosto de gostar de ti, assim. O teu caminho passou pelo meu, vimo-nos e soubemos que teríamos que nos pertencer, porque existem coisas que nos ultrapassam, e que se não fizessem parte de nós, nos deixariam pela metade.

O teu olhar, fugidio por vezes, mas que me entra bem dentro e fala com todas as palavras que te faltam, o teu porte direito e seguro (fachada, já sei) mas que me dá  a ilusão de altura, eu sei que sou pequena, mas tu agigantas-te sempre, fazendo-me admirar cada pedaço do corpo que me alimenta.

Sabe-me bem saber que és tu, que existe alguém, neste meu pedaço de mundo, que chegou para ficar.

Gosto de ti, todo, mesmo das partes que gosto menos, até de quando te "recolhes" de mim e me deixas a sentir tanto a tua falta que me apetece enrolar-me sobre mim e nem sequer respirar.

Gosto de ti, já o sabes, mas vou…

Vontade!

Desejo, necessidade de te ter, outra vez, assim, de baixo para cima, a olhar-te a sentir-te, a querer-te...
Já faz algum tempo e o meu corpo reclama, é inevitável, contigo ele sentia o que é suposto, viajava num mar de sensações que me passavas tão bem, com tanta entrega, tocando-me onde e como apenas tu podias saber, sendo meu de cada vez, sem precisar de sequer duvidar.
Tenho vontade de ser mulher, a tua mulher, de te ouvir sussurrar as palavras que faziam sentido, de não ter que te imaginar, porque te tinha, de colar a minha boca na tua e sugar o teu ar. Tenho vontade de me vir, de não me controlar, de sentir, de gemer e pedir, uma e outra vez, que não pares, que me consumas, que me ames apenas, porque amar-te foi o que fiz.
Se a minha vontade te trouxesse de volta, seria tão simples, porque já estarias aqui!



B. B. B.

Brains, Body and Beauty!

Demasiado? Julgo que não e acredito que será o que buscam os homens de bom gosto, mulheres com 2 dedos testa, um corpo que faça virar cabeças e beleza que não terá que ser apenas exterior,

Hoje tenho mais a noção e a cultura do cuidado comigo, entendo que preciso de estar bem a todos os níveis, para passar energias positivas, para motivar os que me rodeiam, mostrando uma aura mais brilhante e definida.

Não é uma tarefa simples, passa por muito auto-conhecimento, obriga a empenho e mesmo que os recuos não sejam de todo permitidos, volta e meia apetece atirar tudo para o alto, mas uma vez que os resultados do trabalho árduo são sempre muito mais recompensadores, eu insisto e persisto. Sei que estou no lugar certo, a entender porque cheguei aqui, neste momento e não num outro do passado que ficou lá atrás e que uso para me recordar do que não pretendo repetir.

Assim sendo, resta-me continuar a perseverar, a "esgravatar" a terra mais rica, a que alimenta …

Até a força...

Terá os seus limites, pois então!


Tenho sentido que a fonte onde bebo a minha força, de onde retiro as energias para os percalços, para suportar os desamores, para aprender a encaixar com paciência a burrice generalizada, a mentalidade cinzenta, por vezes seca e eu viro a "bicho" mau.

Não sei onde vou buscar a capacidade para puxar dos galões, bater os pés e mostrar, para quem tende a estar distraído, que sou eu quem mando, comando e decido. A bem, sou um doce de mulher, uiii, até pinga mel para o chão, a mal... eu nem teria como explicar por palavras, precisariam que me estar a ver.

Abomino faltas de carácter, a incapacidade de se olhar para o próximo, o usar e abusar dos mais frágeis, nessas alturas, transformo-me. Bem diz o meu paizinho que eu sou enxertada em corno de cabra, cuidado então com as marradas, porque os cornos, no mundo animal, não são exclusividade dos machos, por isso acredito que as fêmeas marrem com bem mais força.

A sorte de alguns, é que a minha fonte s…

Não posso fugir de mim...

Não posso fugir de mim. Não teria onde me esconder. Eu sou a que vejo através de mim, a que sabe o que estou a sentir, como penso, como te penso e de que forma mantenho aprisionada a paixão que me vem corroendo.
Eu sou a única para a qual as portas jamais poderão ficar fechadas, mesmo que não tendo nada e não tenho realmente se tu não estiveres aqui, reste apenas eu. Já estiveste do lado de cá, já senti o teu poder materializado em forma de um corpo que me completou e me deu sensações que mais ninguém terá como, porque a pele só se arrepia, as emoções só se baralham, a saliva só se partilha, na boca de quem sopra palavras com um calor que nos enche e preenche por dentro, deixando que por fora toda eu fique radiosa, com uma luz que não se apaga e nem mesmo tu o consegues quando te afastas.
Não tenho como fugir de mim, como me deitar e morrer, não sei para onde poderia ir, de que forma deixaria de carregar cada centímetro de sentimento que me deixaste partilhar, mesmo quando não te tinh…

E se perguntares...

E se perguntares ao tempo talvez, quando será que o que nos está reservado chegará, quando poderemos repousar o cérebro, permitir-lhe parar de buscar, de querer mais e de ter ao lado quem importa realmente, será que ele responde?

A forma como levo os dias, tem espaço e lugar para ti, quem quer que venhas a ser. Sei que não abdico de algumas prerrogativas, que o que desejo de ti, e sabendo que não peço as estrelas, terás que ter e ser. De outra forma o tempo, que certamente se alongará demasiado e me deixará mais melancólica por dias, encarregar-se-á também de me dar razão e de me confirmar que ou temos quem sonhamos e precisamos, ou não adianta, não valerá o esforço e servirá apenas para aumentar o vazio.

Já estive lá, numa relação onde era apenas eu em todas as situações, em que era sempre e apenas eu a cuidar de ambos e a fazer com que o amor se mantivesse no lugar e continuasse a ser a razão que vira em ti, mas desisti, não sem ter tentado e MUITO. Desisti de ser a que se importava…

Nem por um segundo...

Não penses, não acredites, nem por um segundo, que somos insubstituíveis eu ou tu, um para o outro!

Num segundo se muda, se escolhe de novo e se renovam as palavras que tão intensamente derramámos. Depressa se olha para o lado se não gostarmos do que vemos e acabamos, num segundo, amanhã mesmo, a segurar uma mão diferente e a sentir cheiros que se entranham, ou não... 
Não podes, nem deves achar que se não te deres irás perceber quem realmente se cruzou contigo, para te acrescentar, para te virar e revirar, os dias, a vida, os sons, os risos e para te apoiar nos choros, que se não forem comuns, à volta do que nos serve aos dois, então o nosso tempo durará tão somente um suspiro, um encolher de ombros e depois, nada, mas nada do que se viveu, ficará retido.
Se ao menos eu te conseguisse fazer entender...

De que serve...

Para que queremos uma relação se não nos podemos tocar, olhar e ter sempre que o corpo e a alma o desejarem?


A quem precisas tu afinal de conhecer para seres feliz?
Magoaste-me repetidas vezes e nunca te vi pestanejar.
Ouvi-te soprar palavras, que hoje soam a falso, mas que me fizeram tão bem que as queria de volta.
Rasgaste-me por dentro, impedindo-me de te dar tudo o que ainda reservo para o amor da minha      vida, mas ainda estou viva.

No final até que se aprende mais alguma coisa, mas não quero voltar aos bancos da escola, quero apenas e tão só ter ao meu lado quem importa. Não estou a pedir o impossível, quero alguém como eu, que entenda o valor das palavras, que esteja comigo, inteiro, fazendo-me sentir a mais especial das mulheres. Quero quem confie em mim, como eu sei que confiaria em que me arrebatasse o coração. Quero poder olhar e ver, sentindo-me segura de que não me fugiria por entre os dedos de cada vez que o céu escurecesse. Quero e preciso de consistência, quem saiba o qu…

Não, de todo!

Já to disse antes e vou repetir, uma vez mais, NÃO, não estou magoada, estou desiludida e essa emoção é demasiado forte para que a possa aceitar!

Eu sei que consegui ver em ti o que nem tu mesmo sabes que tens e o que vi não foi o fogo de artifício, não foi o barulho, não foi o menino a querer provar que é homem, foi a ti, todo. Não me enganei, mas por vezes a realidade supera-nos, e o que aconteceu foi tão simplesmente a tua incapacidade de veres para além do hoje, o não saberes esperar, ouvir e entender. Até a noite tem que esperar que as horas do dia terminem para que possa brilhar e é assim com tudo o resto na vida.

Sinto falta de ti, da tua voz, da pessoa que vi e que sonhei. Sinto falta de ti,mas não vou esperar, tal como pediste por escrito, terminando por mensagem o que a tua imaturidade te impediu de fazer com os sons que até sabes usar, mas só para o que dominas, para o que acreditas ser certo, para o que não pretendes que se questione. Meu querido, a verdade é que eu fui t…

Eu acredito...

Eu acredito que estamos aqui e entramos nas vidas uns dos outros por alguma razão, mesmo que pareça não fazer sentido no momento!

Eu estou onde sou precisa e não apenas aos outros, porque se e quando deixo pontas soltas, quando me atrevo a achar que existem almas maiores, quem consiga crescer como o faço eu, a vida mostra-me que não é verdade, relembra-me que até poderei auxiliar com algumas palavras, com o timbre de uma voz algo poderosa, mas jamais irei percorrer caminhos que não são os meus, com os passos pouco firmes de quem ainda só agora aprendeu a andar, mas já deseja correr.

Não, não quero mudar o mundo, apenas pequenos Universos de pessoas que mesmo não sabendo ao que vão, estarão prontas para aprender, de quem consiga falar abertamente dos seus medos e não desista de chegar, demore o tempo a que o tempo obrigar.

Ainda hoje, numa conversa informal, falei do meu receio, por mim, da forma como me resolvo, da minha capacidade em seguir em frente e de nunca, mas nunca, baixar os …