Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2016

Para que sintas o meu amor...

Não há nada que eu não seja capaz de fazer, ou sequer de dizer!

Quando sussurras o meu nome, a vontade de correr para ti, quase que me sufoca, porque tocar-te nunca poderá ser igual a ouvir-te, mesmo que ouvindo o que me dizes, me movas, toda, por dentro.

Não há nada que eu não seja capaz de fazer, para que sintas o meu amor. Há quem o cante assim, desta forma que para mim faz sentido, porque te sinto de cada vez que te oiço. Eu sei que conseguiria ir onde me levasse o mundo, e a vontade que tenho de te ter, porque de cada vez que te oiço toda eu me arrepio, de um desejo que não faz mais do que crescer, para que acabe a ter o que já antecipámos, eu e tu.

Para que sintas o meu amor, estou a mudar até o que nunca me pareceu possível antes, entendendo que podemos, sim, ser diferentes, para permitir que connosco e em nós permaneça quem chegou. Para que sintas o meu amor, mantenho-me acordada, alerta, livre de todos os outros e sequiosa de tudo o que passamos um ao outro. Para que sintas o …

Pensamentos!

Ver de vários ângulos!

Nós somos seres muito engenhosos, e escolhemos sempre o que nos convém, adaptando a realidade, à nossa realidade!

Vale mais dizer, acusar, gritar, mesmo que em silêncios constrangedores, do que aceitar os erros e perceber que nem sempre estivemos bem.

Ver de vários ângulos pode ser TÃO conveniente, como são as atitudes às quais nos colamos, por não sabermos mais, e por nos recusarmos a olhar para o que precisam os outros.
Ver de vários ângulos, permite-nos perceber que o mundo não gira à nossa volta, e que os nossos tempos devem ser ajustados aos dos outros, sob o risco de nos riscarem, de vez.
Ver de vários ângulos, faz de nós, seres que os outros vão querer ter por perto, porque quando cedemos, quando aceitamos, quando permitimos que nos mostrem o que não conseguimos ver, estamos a dar-nos, na proporção certa.

Alguns dos que andam por aqui, já o conseguimos perceber, vão continuar a fugir da vida, dos olhares mais intensos, das pessoas de alma cheia, e dos sentimentos que os forçam a p…

Pensamentos!

Dizes que te sossego!

- Tu, fazes os meus dias correrem de forma tranquila e definida.

É tudo o que preciso de ouvir, porque o que desejo de ti e para ti, é que sintas e me faças sentir que valemos a pena, os dois.

Dizes que te sossego, e eu entendo-o, até quando me transformo num vulcão em plena actividade, até quando respiro, de forma descompassada, por sentir que não me estás a sentir. Dizes que te sossego, e acabas a sossegar o meu medo de não ser da forma que me vês. Dizes que te sossego e eu acabo a amar-te, ainda mais, porque percebo que te consigo cuidar.

Saber que sou a responsável pelo amor que conseguimos aumentar, porque te aceito, porque te sinto e vejo, como és mesmo, confere-me as certezas que procurava, há muito, porque amar só pode ser desta forma. Amar só poderão ser, duas pessoas, a quererem o mesmo, a sonharem os sonhos, que mesmo diferentes, acabarão comuns. Amar, só pode ser este cuidado que me tens, e todo aquele que não consigo evitar, contigo, porque quando estás bem, quando te oiç…

Pensamentos!

Porque continua a fazer sentido?

Porque começamos e terminamos, alguns de nós, de forma tão próxima, numa escrita que a vida parece estar a escrever para cada um, sem sabermos, muito bem, porque acontece, porque nos acontece?

Existem pequenos nadas, aos quais nos agarramos, como se de uma bóia salva vidas se tratasse, para justificarmos as nossas dores, para explicarmos, a quem afinal nem merece explicação, a razão pela qual estamos assim, neste lugar, sem ter ou ver quem nos acrescenta.

Porque continua a fazer sentido, para alguns, eu direi até muitos, que se mantenham infelizes, vazios, e sem rumos? Onde foi que desistiram de ser e de querer?

Larguem os medos, levantem os olhos do chão, regressem à vida, tal como ela foi escrita, para cada um, e arrojem no arrojo que têm os que não desistem de si mesmos.
Larguem as amarras, as dores do passado, os mapas mal entendidos, e as frases mal escolhidas.
Larguem os amores que não quiseram ficar, e arrisquem em novos, se correr mal, continuem.

Sabes porque bebes de mim, e do qu…

Acho que os anjos sorriram para nós!

Só pode ter sido, ou então as coincidências ainda vão existindo!

Eu acredito que os anjos nos sorriram, porque encontraram, em nós, tantas semelhanças, no que somos e no que querermos, que desejaram aumentar o desejo que acabou a ser o nosso.

Mesmo que para alguns não faça sentido, e até custe a entender, nós sabemos do que falamos e porque estamos desta forma, um com o outro.
Mesmo que acreditem, quando ouvirem toda a história, que deveríamos ter ficado juntos, muito tempo lá atrás, eu já sei e aceitei, tal como acabarás tu a aceitar, que só poderia ter sido agora.
Mesmo que não tenha, de ti, os toques, que me fazem falta, já sei como será cada um, e o que acontecerá depois de nos termos, mesmo.

Onde andaste tu toda a minha vida? É o que nos perguntamos, por não resistirmos a achar que o mundo bem poderia ter girado ao contrário, esperando por nós, e deixando-nos onde estamos agora.

Não me perguntes porquê tu, porque eu encheria uma lista, completaria todos os items da minha, a que fiz h…

Pensamentos!

Tratar de quem trata de mim!

Tratar de quem trata de mim, estar disponível para quem me escolheu e aceita, olhar com atenção para poder ser olhada, é o que me move agora!

Ser apenas eu, serviu, durante algum tempo, mas tornou-se demasiado solitário, demasiado pequeno, sem os momentos que até sei partilhar, porque preciso, porque não quero que este percurso seja apenas meu, e porque mereço.

Comecei a reavaliar, a repensar, e senti-me mais preparada, para ti, e é por isso que acredito que tenhas chegado. Comecei a deixar as "coisas" pequenas, no lugar certo, porque o que me assustava afinal não fazia qualquer sentido. Comecei por te entender, e acabei a desejar-te, com esta intensidade de que sou feita e que sempre ponho em tudo o que faço e sinto. Comecei a amar-te, mal percebi que o teu amor se encaixava, direitinho, e que fazê-lo me melhorava até o sorriso.

Que claro se tornou, mal entraste, que algumas pessoas serão sempre demasiado pequenas para que as possamos amar. Têm medo do medo que eles próprios …

Pensamentos!

O que espelhamos!

Quem somos para os outros, e o que conseguimos mostrar mesmo?

No seguimento do programa de hoje, na rádio Hertz, e no qual abordei o tema da beleza exterior com a minha maravilhosa convidada, Eugénia Tapada, tentámos levantar um pouco o véu da avaliação exterior a que todos estamos sujeitos, homens, mas sobretudo mulheres.

A mulher precisa de parecer sempre bem, de espelhar, o que muitas vezes não sente, mas que lhe exigem os outros, porque consideram que deve saber de tudo, cuidar de tudo e de todos, carregando o mundo sem protestar demasiado. As consequências, para algumas, serão devastadoras, de cada vez que se olham, mesmo, e sentem que estão a desgastar-se, e receando falhar e não corresponder.

- Estás de olhar triste, está tudo bem contigo?
- Engordaste muito, estás doente?

Este tipo de avaliações, e a busca constante para perceberem porque parecemos desta forma e não de outra, exteriormente, inibe as mais tímidas e afasta até as mais ousadas.

O que espelhamos, algumas de nós, mu…

Pensamentos!

Quando não estás, quando não te vejo!

Quando não estás, quando não te vejo, o meu coração reage, salta mais aflito e fica numa inquietação que me desinquieta, toda!

Preciso de ti, é um facto. Tu sabes que sim, e que a minha necessidade de ti é para que me complementes os dias agitados, e lhes confiras sentido. Sem ti, sem o teu toque e olhar, nada me preenche, o bastante. Nada me sabe ao sabor que me deixas. Nada me envolve e estimula, se não te souber por perto.

A distância, a tal que assusta tanta gente, não nos impede de estarmos, emocionalmente próximos, tanto que por vezes até consigo cheirar-te, e ouvir-te a sussurrar-me o que tão bem sabes. A distância é a desculpa dos despreparados, dos que precisam de se apoiar em "verdades" universais, para justificarem o injustificável, mas para nós, apenas nos aguça o que já sabemos ter de cada vez que nos tocamos.

Tu entraste, num dia cinzento, mas que clareou e se tornou na referência de todos os outros. Nós sabemos, eu e tu, que nunca nada voltará a ser igual, e que …

Nunca mais...

Nunca mais serás apenas tu, não agora que estou eu!

Nunca mais, te deixarei planear sozinho, nem sentar, sozinho, à espera do que nem sabias se aconteceria. Nunca mais sentirás que o caminho que percorreste foi dar a uma rua sem saída, porque do outro lado estou eu, à tua espera, não para que estejas pronto, porque isso ficaste mal te aceitei, mas para que percebas que também poderei cuidar de ti. Nunca mais amarás sem retorno, porque eu aprendi a amar-te de volta.

Já nos prometemos tanto, mesmo que sem palavras, as tais que até sabemos usar bem, eu e tu. Já prometemos que nunca iremos dormir zangados, ou com assuntos por resolver, porque dormir seria impossível, e porque quando sentimos o que sente o outro, nunca o iremos querer magoar. Já nos prometemos amor a balde, numa enxurrada que ainda não fomos capazes de sossegar. Já nos prometemos respeito, tempo, entrega e todas as descobertas que ainda temos que fazer, porque a vida interrompeu o nosso percurso, a dois, mas levou-nos até on…

Pensamentos!

A tua namorada!

É assim que me vês, como a tua namorada!

Começou por ser estranho, despropositado, mas a verdade é que o que fazemos, agora, é exactamente isso, namorar, portanto e visto dessa perspectiva, eu sou tua namorada e tu és o meu namorado.

Parece que voltei à adolescência e que comecei a acreditar, outra vez, nas inúmeras possibilidades que sempre acabam a surgir, quando nos apaixonamos. Gostar, mesmo, de alguém, dá-nos um aconchego maior, e enche-nos de um desejo crescente de felicidade a dois.

Não me perguntaste se queria namorar contigo, disseste-me que estávamos a namorar e que eu passara a ser uma das pessoas mais importantes da tua vida. Eu acreditei e acredito, porque nunca me deixas margem para pensar de outra forma ou sequer duvidar. Não me perguntaste se estava disposta a arriscar numa relação, arriscaste tu, de imediato e tens vindo a ensinar-me a não ser apenas eu, a não querer saber e fazer, tudo, sozinha. Não me perguntaste se era capaz de te incluir e aceitar no meu presente, …

Reergueres-te!

Reergueres-te! Terás que o saber fazer, não importa de onde venham os ventos, não importa de que forma te abanem as estruturas, terás que voltar a estar de pé, e pronta para seguir em frente.

Reergues-te quando percebes, quando aceitas e quando desistes de lutar contra moinhos de vento. Reergues-te, quando percebes que não fazes falta, que não acrescentas nada de novo, e que te moves no sentido contrário. Reergues-te sempre e de cada vez que tudo o que estavas disposta a superar, nunca será aceite ou entendido por quem parecia ter-te escolhido.

Não tenhas medo de começar e recomeçar, uma e outra vez, até que te encontres, e esbarres na pessoa certa, porque ela existe, ela está-te destinada, e acabará por te encontrar. Não desistas dos momentos, únicos, de felicidade, que sempre chegam com quem chegou, para ti. Não te encolhas, achando que somos todos feitos da mesma massa, das mesmas inseguranças e indiferenças, porque se não resultou, então apenas não era "ele".

Se caíres, se…

Tão bonita quanto me consegues ver!

Sabe-me sempre tão bem ouvir-te falar da minha beleza, de tudo o que consegues ver para além de todos os outros. Sabe-me bem ser tão bonita como acreditas, tendo o que importa para quem quer tudo de mim, e não apenas o que mostra o meu exterior!
Sou, muito provavelmente, tão bonita quanto consegues ver, porque eu mostro-me, de dentro para fora, eu falo-te, de forma tranquila, assertiva e determinada, querendo o que queres tu e dando-te o que esperávamos ambos.

Ser assim, ser vista assim, sem ter que me esforçar, sem desesperar no desespero que sempre nos provoca quem não sabe como nos ver. Ser assim, com o que aprendi a tirar de mim, levando a que me vejas tu também, sossega-me, e tranquiliza a minha necessidade de mostrar do que sou feita.

Sou bonita, para ti, porque te dou, sem máscaras, cada parte que acumulei. Sou bonita, para ti, porque aprendi a sê-lo, para mim. Sou bonita, para ti, porque não estou zangada com nada, nem ninguém que não tenha sabido o que já sabes tu. Sou bonita, …

Pensamentos!

Sim, eu aceito, claro!

Tudo o que sou e tudo o que serei, passou a ser visto e reconhecido por quem é, agora, a metade de mim!

Sim, eu aceito, claro, seria louca se não o fizesse!

Todos andamos, por aqui, à procura de algo e de alguém, que dê sentido ao que conseguimos juntar, mesmo que só emoções.
Todos queremos mais, muito mais do que aquilo que nos tentaram fazer acreditar que existia.
Todos sentimos, de uma forma ou de outra, que podemos estar bem mais alto, mais longe, do que nos magoa, e bem mais perto de quem nos aceita, como somos.

Cada um terá uma impressão, um cunho, um sonho por concretizar, um lugar onde chegar, não sabendo se o conseguirá nem quando, mas cada um de nós, terá ferramentas para ser diferente, mais determinado e arrojado, parando de sentir sabores impostos e desvirtuados.

Sim, eu aceito claro, não me atrevo a tentar de outra forma, porque é inegável, assim se tornou, que temos que ficar juntos, temos que ter o nosso lugar, temos que confiar no nosso sabor e na forma como os nossos corp…

Pensamentos!

De mim, tudo!

Olá meu amor,

Eu sei que falamos todos os dias, que debitamos milhares de palavras por segundo, e mesmo assim nunca nos cansamos de nós, mas a verdade é que há sempre mais, muito mais, por dizer e saber.

Gosto de escrever para ti e sobre ti. Gosto de me sentir importante na tua vida, e de te mudar os dias e os rumos. Gosto deste amor que começou, para mim, desta forma, mas que para ti apenas se limitou a crescer. Gosto da nossa parte de dia, aquela em que mais ninguém entra ou faz falta. Gosto de gostar de ti, assim.

Dizes-me, quase sempre, que posso ir aprendendo a baixar as defesas, e a aceitar que és quem sempre me fez falta, e eu percebo-o e tento, com todas as minhas forças, parar de lutar, porque tu és real e porque tudo o que sempre disseste sentir por mim, existe dessa forma, sem margem para erros.

De mim, terás sempre tudo meu amor!

É o que me sopras, gritas, apregoas e recordas, todos os dias, para que nunca arrisque duvidar. É, e tem sido, com essa tua capacidade, imensa, de …

E tu quem és?

Quem foi que me chegou, assim? Quem és tu afinal?

Estou no início, nas descobertas, na procura das legendas, dos olhares que ainda não decifro e dos quais fujo, pela intensidade e pelo prazer que me passam. Não sei, ainda quem és, nem porque me procuraste agora, mas sei que mudas tudo. Sei que te quero. Sei que preciso do que me dás e do que me fazes querer e sentir. Não sei quem és, pergunto-me muitas vezes, mas não descubro, não associo, não entendo, porque pareço não merecer o que me trazes, nem o que me permites sentir.

Onde foi que andaste a minha vida toda? Já me atrevo a perguntar, porque tenho aprendido mundos desde que começaste nesta tua nova demanda, de mim, para me fazeres feliz e para me sentires feliz.

Tudo o que sou, faço e digo, trás-te no percurso. Tudo o que desejo e vislumbro no meu futuro, inclui-te. Tudo o que planeei, lá atrás, passou a fazer tanto sentido, que sentir-te é a sensação que me importa manter, todas as outras são as que conhecia e tinha já.

Eu pedi alg…

Na tua cama!

Na tua cama, bem junto a ti, permitindo que me toques o corpo, a alma, aconchegando-me o coração que já te pertence!

Na tua cama, a sentir o corpo que o meu corpo reconhece, passando-me as emoções que os meus gemidos atestam.

Na tua cama, na tua pele, na tua boca, roçando-me, determinada, mas permitindo-te dominar, decidir, sugando-te até que a minha vontade de ti sossegue.

Na tua cama, comigo, livre, pronta, determinada, amando-te como já sei fazer, dando-te o que tanto pediste.

Na tua cama, eu contigo, sentindo cada ruga que os lençóis formam, sentindo como me esmagas de prazer, com o desejo que sempre cresce quando sou tua.

Na tua cama, acordada, a dormir, nua, vestida, eu toda.

Na tua cama, posso despir-me até da minha pele, dos olhares do mundo, dos medos que ficam bem lá fora, que não carregamos para dentro, porque dentro de mim apenas tu.

Na tua cama sou a tua mulher, a que sonhaste, desejaste, viste e tomaste.

Na tua cama nunca me canso do amor que fazemos, e nunca desisto de te sacia…

Pensamentos!

Palavras!

O meu mundo, sobretudo o das palavras, há muito que era apenas meu, não tinha eco em ninguém do outro lado de mim. O que escrevia e dizia, importava-me, sobretudo, a mim, e ser UMA, não tendo que me dividir, nem acrescentar, fez-me endurecer e deixar de incluir!

O que tu vieste mudar, o que me vieste ensinar, é que, preciso de te meter em tudo o que digo e faço, e que já não sou, apenas, EU. Tu estás para ficar, tu movimentas-me e acrescentas-me. Tu responsabilizas-me por tudo o que desejo, sonho e faço acontecer. Tu, já és a metade de que tantas vezes falei, chegando, por vezes, a pensar que seria apenas mais uma palavra. Tu lembras-me a cada minuto, como te devo tratar, para que possamos continuar, em sintonia, libertos do mundo lá fora, e eu tenho que te prestar mais atenção.

As palavras, que agora debito, encontram um "adversário" à altura, nunca ficam sem resposta, nunca me deixam no vazio, e sobretudo, nunca me permitem duvidar de ti, do que és para mim, e do que plane…

Se te ouvisses, mesmo!

Se te ouvisses, mesmo, conseguirias perceber que quase nunca fazes sentido!

Queres porque sim, mas recusas quem te quer.
Decides porque não te imaginas noutro futuro, mas acabas a renegar o teu presente, fugindo parado.
Impedes-te de ser amado, e desperdiças o único amor que tanto de custou conquistar.

Se te ouvisses mesmo, no silêncio, sem os barulhos que te embrulham a vida e te deixam tão confuso, saberias que tudo o que perdeste foi porque abriste as mãos, e deixaste ir, deixaste-me ir.

Ninguém mendiga amor, sentimentos, ou desejos que não parecem ter forma de crescer. Ninguém é louco, o bastante, para aceitar o que nunca chegará, porque foi assim que o disseste, em letras garrafais, sem margem para qualquer dúvida.

Se te ouvisses mesmo, saberias que desististe de mim, de tudo o que sentia por ti, de forma genuína e descomplicada. Paraste-me, forçaste-me a escolher e eu escolhi-me a mim, não poderia ter sido de outra forma.

Pus o meu amor no alto de mim, gostei, ainda mais, de cada peda…

Pensamentos!

Mulheres que mandam!

As mulheres que mandam, estão a proliferar, como cogumelos, e a tornarem-se assustadoras, até para as outras mulheres, as mais comuns!

Que fenómeno é este, e o que as motiva?

Serem "elas" as que decidem, as que escolhem, e as que têm que ter e fazer, fornece-lhes uma carapaça demasiado dura, um caminhar seguro, de quem sabe sempre como e por onde, mesmo que a razão lhes fuja.

As mulheres que mandam, que organizam vidas, desde que se levantam até que se deitam, não arriscam sentir fragilidades, não sabem como permitir que as cuidem, não amam para não serem magoadas, e não se entregam para que possam continuar na mesma linha, sem dúvidas nem sobressaltos.
As mulheres que mandam, não querem ser enganadas e apenas querem ouvir o que lhes for dirigido, e verdadeiro.

Será que mandam porque assim o decidiram, ou porque não lhes restou alternativa? Todos, sem excepção, precisamos de ser cuidados, olhados com atenção, sentindo que nos dispensam o tempo que nos faz falta, para nos entrega…

Pensamentos!

Não é apenas pele!

Já não preciso de perguntar se me amas, tu mesmo tratas de o dizer, assegurando-me que não tenho porque duvidar. Já não tenho que esperar que me digam o que têm, dentro, para mim, porque agora chega, em sopetões, derramado nas palavras que não sabes poupar e com as quais me inundas até que me cale, sem saber o que mais dizer, e logo eu!

Tocar-te, sentir-te, faz-me sentir tão nua, sem qualquer defesa, a saber que és tu, que chegaste, que não mais sairás de mim, e que parei de procurar. Olhar-te, quando dormes, o teu respirar seguro, tranquilo, deixa-me segura de que te dou o que precisas e que sou quem procuraste, tal como eu, durante toda a nossa vida.

Não escondemos nada um do outro, nem sorrisos, nem lágrimas, nem mesmo os medos que nos assolam aos dois, quando o frio nos invade, e nos tentamos imaginar sozinhos, um sem o outro. Não te ter, não saber do que sabes tu, não te ver, como és mesmo, deixou de ser possível.  Agora basta-me fechar os olhos, para saber de que forma te terei, o…

Pensamentos!

Como me vês!

Falámos muito, ontem, sobre a forma como me vês, e eu não consigo deixar de me surpreender com os pormenores, com cada detalhe e até com os sons e cheiros que dizes ter colados a ti.

Fazes-me sentir pequenina, sem importância, e com a sensação de que falhei ver-te. Não gosto da forma como te lembras até do que eu dizia. Acumulas demasiado, e fazes-me recear até os pensamentos.

Nunca tinha conhecido um homem com tanta intensidade nas palavras, e com esta capacidade, gigantesca, de me analisar e de perceber o que estou a sentir.
Nunca me tinha "chegado" alguém tão parecido comigo, tão gutural, tão ciumento, tão atento aos tempos, e a não querer dividir sequer o ar que respiro.
Nunca senti, na pele, tanta entrega, tanto desejo, tanta vontade de estar na minha vida.

Tu deixas-me quieta, a medir os meus movimentos, e ter que me deixar pronta para te receber, a ser apenas tua, e mesmo que me confunda, sabe-me bem, desacelera-me até o metabolismo. Tu deixas-me, como nova, a olhar-me d…

Pessoas que me acrescentam!

Nada acontece por acaso, nada nos chega como a chuva que não foi anunciada, tudo tem um propósito, é o que começo a perceber, de algum tempo para cá!

Por força de circunstâncias profissionais, estou a aprender a dar-me mais, sendo e tendo pessoas novas na minha vida, a mesma que recatei, o máximo que pude, pelo tempo que me permiti. Na realidade faz-me falta ser mais aberta aos outros, faz-me falta encontrar quem comungue do mesmo, faz-me falta ser e ter bem mais do que eu mesma, porque, eu sinto, que o meu isolamento foi imposto.

Quero poder usar mais do que as palavras. Quero perceber o que faço aqui, forçando-me a uma tolerância que vem crescendo, aprendendo que todos têm limitações, e que as devo aceitar, porque raramente encontro quem tenha a minha aceleração e intempestividade. Eu quero tudo, faço tudo, procuro tudo, e acabo a cansar até a minha beleza.

As pessoas que me acrescentam, têm chegado, umas atrás das outras, com faces novas, com cores novas, com olhares que nem eu mesma…

Quem quer, quem consegue?

Quem quer, quem consegue, apenas amar metade do tempo, quando der jeito, quando for conveniente, e quando a agenda o permitir? Quem acredita, ainda, que as emoções se compartimentam, e podem ser deixadas onde não perturbem demasiado? Quem poderá querer, apenas umas migalhas, quando o bolo inteiro é tão mais doce e apetecível?

Vamos ter sempre os cidadãos de primeira e de segunda fila. Os que fazem acontecer, e os que esperam, pacientes, como fazem os abutres, pelas peças já mortas e sem vida. Bem, cada um come do que gosta, quanto a isso, nada a declarar!

Alguns dos argumentos usados, mesmo que possam parecer muito válidos, apenas convencerão os tolos, porque no campo dos afectos, dos sentimentos e das relações, é mesmo assim que se passa, só aceita quem quer, e só rejeita quem duvida e quer mais. Teremos, sempre, os que se escudam nas impossibilidades que apenas eles conseguem ver. Teremos, sempre, os pequenos, os que se deixaram encolher e que se escondem qual ratos, da vida. (Que r…

Pensamentos!

Não tens porque lamentar!

Não precisas de baixar o olhar, nem de recear a minha dor, porque a que me infligiste, transformou-se em palavras, operando uma magia que acabará a tocar muitos outros!

Eu alimento-me de tudo o que me move, dos momentos bons, dos risos e das gargalhadas, mas também das inevitáveis dores, desalentos e interrogações. Não tens porque lamentar não teres sabido ficar, porque eu entendi-te, aceitei e segui em frente. Se não ficaste, então o teu lugar não era aqui, não era este e não teria que ser eu.

Quem escolheu quem? Quem decidiu o que precisava? Quem procurou o que certamente lhe sararia as feridas? Eu e Tu!

fomos dois, nos desejos, nos sonhos, nos beijos, mesmo que escassos, mas já fomos dois, cheios de uma vontade que nos clareou os dias e fez tudo o resto ficar pequenino. Já nos segurámos, rimos e chorámos, já demos e recebemos de forma intensa e apaixonada. Já nos amámos, até que deixámos de nos querer, um ao outro, no mesmo lugar, aquele que arriscámos sonhar, mas que TÃO bem nos …

Pensamentos!

Qual a cor da tua aura?

Qual a cor da tua aura, sabes?

Será que mudarias alguma coisa se soubesses? Será que irias querer ser, tu, diferente, se soubesses como podes ser vista, perante os "outros"?

A cor que a nossa própria cor espelha, tem a ver com tanto, que descrevê-lo obrigaria a um tratado. Teremos as cores visíveis, e as que ninguém consegue perceber, porque se misturam e acabam a baralhar quem só olha de forma afunilada e pequena. A cor de dentro, a que importa mesmo, por vezes assusta os mais frágeis, e leva-os a correr, desalmados, com receio de serem contagiados.

A minha certamente que terá mais do que uma cor, porque eu faço por ter luz própria, iluminando-me, sobretudo quando os caminhos são escuros, alguns negros como o breu. A minha aura, a que me "tu" já consegues ver, mostra-te o que receberás, se ao menos fores capaz de aceitar que eu só importo se for assim. Não me queiras por menos, não aceites os meus meios tempos, porque se me disseres o que te faz falta, eu saberei …

Pensamentos!

Eu sei, sempre...

Eu sei, sempre, por onde começar e o que fazer para que o importante fique, realmente, feito!

Sei o que sou e como me quero manter para os que amo. Sei que não me consigo desviar dos que de mim precisam, e por onde ir para que usufruam de mim. Sei da importância de estarmos perto, tão perto quanto nos "gritarem", mesmo que em sons mudos. Eu sei, sempre, como me dar, mesmo que vá indo demasiado de mim, porque sei que acabarão a voltar umas quantas.

Quando penso que vou desistir, e começar a olhar para dentro, largando quem parece não me acrescentar mais nada, percebo que não é possível, e que todos importam, sim, de alguma forma. Cada um que passa por nós, deixa o que nos fazia falta, até mesmo as dores. Quando me atrevo a ver a humanidade de que sou feita, penso que não estou pronta, e que estou a passar demasiado, esquecendo-me de mim, mas a verdade é que apenas nos dão o que conseguimos aguentar, por isso embora lá, mais um bocadinho...

Estarmos, uns para os outros, querendo…

Pensamentos!

Sorrio, sempre...

Agora dou comigo a sorrir, de cada vez que oiço as malogradas queixas sobre relações, pessoas certas, cedências e comprometimentos!

Sorrio por duas razões. A primeira porque já não sofro desse mal, aquele que me deixava, antes, a atirar questões para o ar, sobre como seria ter alguém novo na minha vida, de que forma e quando. A segunda, porque já percebi que as cedências se tornam naturais, como natural é pensarmos e respirarmos, quando se trata de aceitar quem nos acrescenta e faz falta.

Gosto de ir ouvindo, a uma distância tranquila, as reclamações, os devaneios, os medos, e tudo o que impede, muitos de nós, de apenas sermos felizes, sem mais barreiras das que já existem, naturalmente.
Gosto de já não pertencer ao "grupo" das que pararam de acreditar, e das que se mantêm cépticas quanto ao emergir de alguém que valha a pena.
Gosto, IMENSO, de poder apenas ser eu, de me deixar ir, sabendo que no final de cada dia, existes tu, e que bem me fazes.

Existem alianças e clubes, aos …

Pensamentos!

Quando queremos...

Quando queremos, conseguimos mesmo, não existe qualquer dúvida!

Quando queremos,ter sucesso, amor, sobretudo por nós, conseguimos fazê-lo, só não podemos desistir quando os revezes surgirem, porque os ups and downs, existirão sempre, talvez para testar a nossa vontade, ou apenas porque é assim que deve ser. Já nao perco demasiado do meu tempo a analisar, ou a entender quem, ou que me chega. Se for bom abro os braços e recebo, se for mau, chuto para o alto e sigo com a minha vida.

Não temos forma de impedir que o sol nasça, que a chuva caia, e que a noite se apodere, impiedosa, dos dias que precisávamos de prolongar. Não sabemos como mudar a rotação da terra, nem fazer o mar correr para os rios, por isso, e na inevitabilidade de sermos muito diferentes, devemos saber ser iguais, a nós mesmos, levando por diante sonhos que poderão tornar-se realidade, bastando que o queiramos mesmo.

Quando queremos, oh meu Deus, quando queremos, escalamos montanhas, a pique, deixamos de sofrer de vertigens…

Achaste, MESMO, que sim?

Achaste, MESMO, que iria esperar por ti? Achaste, em algum momento, que eu não sabia do que falava? Consideraste que era um capricho, ou uma forma de pressão? Pois...

Eu sou das que tem sempre alguma coisa válida para dizer, porque o que sinto é igualmente válido e precisa de ser respeitado. Eu sou das que nunca quer metades, nem migalhas, e que não cede no TUDO que alguém terá que me dar, porque eu sou inteira, eu dou sem reservas e preciso de saber quem me envolve, como se chama, de onde veio e para onde planeia ir, comigo.

Achaste, mesmo, e por algum momento, que eu não seria capaz de encontrar quem preciso?
Achaste, mesmo, que me manteria cega, quieta e desprendida dos outros, para me prender a ti?
Achaste, mesmo, que não haveria quem me quisesse dar o que tanto te pedi?

Será que já tiveste forma de sentir, o sabor que permanece na boca, quando nos insultam a inteligência? Será que já te esbofateraram, sem mãos, quando te querem fazer ver o que nunca existiu? Será que continuas, apena…

Pensamentos!

A forma e o formato das relações!

Andamos, já há algum tempo, a deturpar o conceito de relação afectiva. Só podemos mesmo, porque vejo tanta gente infeliz, de mal com as suas escolhas, a não terem o que sempre deram, mas mantendo-se, de pedra e cal onde estão, que só podem ter recebido directivas erradas!

Amar e ser amado não é simples, nem basta que se use o coração. Há que saber e querer cuidar do outro, da mesma forma que queremos que nos queiram e cuidem. Temos que dar, de forma generosa, tempo, amizade, respeito, mimos, palavras sábias e tolas, beijos desenfreados e suaves. Temos que nos mostrar, sem medo de nos fragilizarmos, porque quem partilha a nossa vida, em pleno, tem que saber do que somos feitos.

O que foi que te ensinaram, quando já eras suficientemente crescidinha para quereres a tua metade?

Será que te mostraram, porque isso sim é importante, mais do que dizerem-te, que deves amar-te primeiro, tendo um enorme respeito pelo teu corpo e mente, e depois então amar quem te tivesse tocado, de alguma forma? S…

Pensamentos!