Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2017

As saudades apertam, sobretudo nestas datas...

Quando abres mão de quem te quis como sempre desejaste, em alturas como esta, em que todos parecem festejar alguma coisa, tu festejas as mágoas que te começam a corroer, sem parar!

As saudades apertam, sobretudonestas datas, se deixaste palavras por usar, acções por explicar e outros beijos, dentro de todos os que conseguiste dar, mas que ficaram a faltar. As saudades, de quem te fazia acordar pronto e adormecer tranquilo, apertam, mas apenas porque estamos numa altura em que todas as outras, as que deixaste arrastar, te cobram a cobardia e a ousadia de achares que voltarias, de alguma forma, a ter o que tiveste antes. Ela era o brilho no olhar que todos conseguiam ver. Ela era cada um dos risos que vinham em catadupa, enquanto rias sem saber do quê. Ela era a tua esperança num futuro menos cinzento, cheio de um vai vem infinito, mas que te manteria vivo. Ela era o corpo que o teu reconhecia e que se encaixava, sem qualquer esforço, mesmo que tivesses que te esforçar por não a deixare…

Será que sabes que o melhor está para vir?

O melhor do ano que termina é o que está logo ali, na esquina de mais uma porção de vida por viver. Melhor do que sonhá-lo, é saber que vai mesmo acontecer, e que agora falta apenas mais um dia para que o que queríamos iniciar, se inicie mesmo. O melhor de todos os dias que tivémos e que até sabíamos quantos seriam, foi perceber que nos seria dada mais uma oportunidade. Melhor do que todos os votos e desejos de reinícios, é finalmente poder reiniciar.

Será que sabes que o melhor ainda está para vir? Eu sei que só pode, e que só assim fará sentido continuar. O melhor de mim e do que andei a semear, está já ali, bem mais perto da mão que estiquei para o poder tocar. O melhor do que aprendi está prontinho para ser ensinado, a quem quiser aprender. O melhor de cada um dos planos que planeei, é saber que já, já, estarão aqui...

O melhor de mim, ano após ano, és tu, e tu e ainda tu, aqueles que me esforço por tornar grandes, generosos e de visão ampla, porque me pertencem e porque são minha…

Se estás aqui, comigo, não estás bem...

Se estás aqui. Se o teu olhar não se move, não se levanta e não brilha, então ele não é a tua pessoa certa. Se já o entendeste, não te atrases, não permitas que te roube as cores com que te vestias antes.

Como pode alguém deixar-te assim, sem partes de ti e sem que te esforces para as recuperares? Como foi que embarcaste nesta viagem, se as chances de te perderes eram bem maiores do que qualquer amor que uses como desculpa? Como permitiste que não te desse nem sequer metade, quando te esforçavas pelo tudo que tens?

Se estás aqui e não em casa, não nos braços de quem te amaria, como eu, e te faria a mulher mais feliz deste e de outros mundos, então vais ter que te parar. Se estás aqui, comigo, a ver-te vazia e sem que nada possa fazer ou acrescentar, então estás errada e precisas de te mudar.

Gostava de te poder dizer o contrário do que já sabes, mas certamente que não o faria, porque para mim e desde que te conheço, sei que és tão importante quanto o ar que partilho. Gostava que levant…

Não sei se és tonto, ou louco!

Quando escolhes não escolher nada. Quando decides que decidir te dará demasiado trabalho. Quando não ligas porque ligando terias que falar de ti. Quando te enganas, sempre e de cada vez que te tentas convencer da mentira, a que manténs viva para não teres que mudar, uma vírgula, ao que já conheces, acabas por pagar um preço demasiado alto, mas ainda assim finges não perceber.

Não sei quem terás enganado mais. Não sei, e muito provavelmente, nunca saberei, em quem pensas quando, finalmente, paras para pensar. Não sei o que te dão as noites, as que tens sozinho porque acompanhado terias que dar mais de ti e ainda não sabes como o fazer. Não sei se és um tontoou apenas um louco incurável. Não sei com quem falas e se falas de ti, mesmo de ti, com tudo o que sentes e sabes que tens. Não sei como acordas, mas arrisco dizer que o sabor é quase sempre amargo.

Alguém te magoou, por norma é assim que acontece, mas não serás o único, o que te distinguirá será a forma de te curares. Alguém te ar…

O dia de te tirar de mim chegou, finalmente...

O dia em que deixaria de te sentir de cada vez que ligas, teria que chegar. O dia em que nada do ontem me interessa para o hoje, onde estou, eu, comigo e sem nada de ti, porque nada restou, acabou de se instalar. O dia em que nada do que dizes faz sentido ou me importa, porque aparentemente o teu discurso desgastou-se, tal como tu mesmo quando percebeste que eu te daria trabalho, é este, é agora...

Não importa se fui uma tonta apaixonada e se me deixei levar pelo que parecias oferecer. Nem sequer importa se me desiludi, porque apenas contabilizo os dias em que me encheste e preencheste de certezas, desejos e vontades que não via satisfeitas há muito. O que temos é o que conseguimos carregar e eu carreguei-te todo, à minha maneira, sonhando com o que poderias realmente ser. O que conquistamos é a capacidade de desmultiplicarmos a razão, porque por vezes ela apenas atrapalha, mesmo que nunca nos engane. O que guardamos, para sempre, é tudo o que nos permitimos sentir, sabendo, como o se…

Pediste, aqui vai...

Olá a ti que finalmente chegaste,

Prometi que te escreveria algo hoje e que to enviaria por email, já que recusas render-te ao facebook, dizes que não precisas do virtual para te mostrares e muito menos para te sobre valorizares, porque preferes quem és no real, e já agora eu também. Tens um olhar doce e um toque que me toca, mesmo, dentro. A tua determinação assusta-me, porque é igual à minha. Os lugares que conheces e nos quais pretendes viver, são os que quero e onde me visualizo. Consegues falar sem te calares e sem me cansares, tão impressionante que acabamos a rir de nós. É no teu corpo que me encosto, enquanto dançamos as mesmas músicas, as que parecem ter sido feitas para nós. O nosso ritmo permite-nos ritmar a relação que estamos a deixar crescer e a avaliar o que nos importa.

Os meus finais de tarde são agora sempre iguais, vejo-te chegar, de sorriso aberto, com a cabeça que se movimenta para me encontrar. Avisas que estás a chegar e eu espero-te como sei que gostas e te fa…

A nossa princesa!

Agora já não sou a única a reinar neste nosso reino de amor. Agora e de há um tempo para cá, tenho uma princesa que nos veio enriquecer ainda mais. Agora sou sogra de alguém, mas sem o peso que a palavra comporta, porque é apenas uma palavra e eu sou bem mais. Agora tenho uma menina-mulher em casa e pela primeira vez sei o que significa partilhar de forma feminina e estou a gostar de tudo.

A nossa princesa faz anos hoje, 21, e espero ver muitos mais do que ainda será feita, com a felicidade que merece e fazendo o meu primogénito igualmente feliz!

Esta viagem está a ser carregada de aprendizagem e algum deslumbre perante o que afinal até aprendem de mim, os 3 homens da minha vida. Vou percebendo do que padecem os amores com esta maravilhosa idade, os vinte. Vou percebendo o cuidado que o meu filho mais velho coloca no amor que está a aprender a direccionar, porque amar é realmente difícil, pela viagem constante, pela impossibilidade de continuarmos a ser apenas nós e por tudo o que ter…

Não ponhas ninguém em espera!

Não ponhas ninguém em espera, porque ninguém esperará por ti, mesmo que te tenha amado, ou ame ainda. Já todos vamos sabendo que quem não fica, quem não se esforça, quem não nos procura, ou o faz apenas quando lhe sobra tempo, não deixará que sobre nada de nós. Não ponhas ninguém emespera, não quem seja realmente diferente ou importante, porque um dia, quando te sentires pronta, capaz ou com coragem para, já não terás quem até tiveste antes.

Sermos as pessoas mais importantes da nossa vida, não nos dá o direito de retirar importância ao outro. Quem se considera, respeita e pretende saborear a felicidade, fazendo-a proliferar, tem que saber como olhar, como falar e como ser ouvido quando tiver, mesmo, algo para dizer. Sabermos o que precisamos para nós, deveria fazer-nos manter, apenas e só, os que nos puderem acrescentar. Termos, em nós, a alma engrandecida pelo que já demos, vai sempre curar-nos do que não conseguirmos receber, por isso não ponhas ninguém em espera. Não uses. Não acr…

Há um ar que te sopra para mim!

Há uma brisa a entrar pela janela e uma luz que te ilumina a cara, a mesma que gosto de beijar, uma  e outra vez. És tu a minha pessoa certa, a que sempre acreditou em mim. És tu que me acolhes, proteges e amas, acima de tudo o resto. És tu...

Conhecemos tanta gente, todos os dias. Passamos e deixamo-nos passar por tantos que não nos dizem nada, não nos tocam ou sequer fazem olhar duas vezes, mas de repente, do nada, encontramos uma, a que mudará tudo, a melhor para nós e a única.

Estou a ver as nossas fotografias e não consigo parar de sorrir. Tanto que já caminhámos desde o dia em que me irritaste profundamente, mas conquistaste para sempre. Estás na mesma, mas deixaste de ser o mesmo homem. Agora explicas-te bem, lutas pelo que sonhaste no dia anterior, confiante de que é o mais importante. Agora tudo em ti é mais preciso, mas menos previsível. Agora pareces querer tudo e não desistes de nada, sobretudo de nós.

Há uma brisa que quase consegue arrefecer o nosso quarto e há muito qu…

Os medos que nos alimentam!

Os medos, os tais que chegam quando menos precisávamos e quando até já parecíamos ter sido convencidos... Os medos terão talvez uma função definida, mas que nos poderão atrasar os passos, fazendo-nos recuar nas decisões que já tinham sido tomadas e até de forma acertada. Os medos deverão ser lidos e entendidos, porque as razões até poderão estar disfarçadas, mas serão tão ou mais válidas quanto nos esforçarmos por as contrariar.

O ser humano resiste à mudança porque necessita de conforto e de segurança, sem entender que eles são tão ilusórios quanto o medo de não ser bem-sucedido. Não temos garantias de nada, apenas de manter vontades, ou de as mudar para melhor nos adaptarmos.

O medo dos recomeços, dos compromissos, dos amores novos e do largar de antigos. O medo de não ter quem julgamos ter. O medo de não termos um lugar, quando o nosso já estava definido. É de cada um que somos feitos e que alimentamos, mesmo sem nos apercebermos, talvez porque sejam tantos, quanto mais fértil for a…

As palavras carregam poder!

As palavras carregam poder e ninguém o deveria ignorar, porque quando as usamos, de cada vez que as temos, escritas, pela mão de alguém, saindo bem de dentro, saberemos que de alguma forma, o que foi dito lhes pertencia. As palavras dizem muito de quem as usa e bem mais de quem as recusa. As palavras fazem-nos ganhar e perder pessoas. As palavras, permitem-nos viajar por mundos aos quais não teríamos acesso, se não as lêssemos. As palavras devem ser ditas e escritas, na medida certa, sob o risco de deixarem de ter qualquer impacto.

Não te repitas, não teimes em mostrar-te vitimizada, não queiras que te entendam, sobretudo se o que dizes não vier de ti. Não faças das palavras o que fizeste dos outros, porque terás mais do mesmo, terás o nada que o nada representa quando deixaste de representar algo para alguém.

Deixa-te de tretas, para de tentar lixar com F os pobres que por aqui andam, sobretudo quem te tiver amado, sem nunca ter sentido qualquer receio em to afirmar. Larga as balelas…

Chegaste, de mansinho, para mim!

Chegaste de mansinho, passo a passo, olhando-me com uma firmeza que fez parar os meus movimentos. Vi-te aproximar, tanto e com tantas certezas, que quase me impedi de respirar. A tua boca estava tão próxima, mas mantive os meus olhos para baixo. Conseguia ver a covinha do teu queixo e o arfar que movia o teu peito. Senti que rangias os dentes e que te tentavas controlar e foi o que fizeste até te perderes e me laçares, pela cintura. Já não estou preocupada com os que pararam para perceber o que estava a acontecer, agora só quero ter de volta o que permiti que se fosse. O beijo foi longo, doloroso e desesperado. Apertaste-me tanto que só não gritei porque a minha boca estava na tua. Senti cada um dos meus músculos retesarem-se e a minha excitação quase que me perdi, ali mesmo, onde não éramos apenas nós, não fisicamente, mas onde o mundo parecia ter parado de girar.

- Onde tens andado, mulher que me enlouquece?
- Aqui, onde me deixaste...

Nada em nós e connosco é morno. Tudo o que faze…

Cada dia que passa...

Cada dia que passa. Cada momento em que apenas estou eu. Cada pensamento que se cruza com o que estou a pensar. Cada sorriso e riso que já foram reais, fazem-me lembrar de ti!

Todos os meus movimentos, agora, fazem-me sentir a tua falta. Tanto que me conhecias e cuidavas, consigo ainda sentir a tua mão gigante tocar a minha face logo pela manhã. Os teus dedos nos meus lábios, que entreabrias para que os teus coubessem. O esfregar ligeiro, compassado, mas depois quase desesperado do corpo que o meu já esperava. O teu respirar, misturando-se com o meu, tal como faziam as palavras que continuávamos a usar, porque nada parecia ser capaz de nos parar.

A cada dia que passa agora, sinto que o frio não se arranca, quando o melhor de nós acabou arrancado por forças que as nossas não seguram. Queria que me assegurasses, como esperava de quem sempre me cuidou e me desses o único colo que tive. A cada dia consigo ouvir o que me sopras, meio triste, porque precisas que eu continue, que me reencontr…

Nada como conseguir ver o nada...

Nada como o dia depois do outro onde estiveste, para saber quem és. Nada como deixar que te mostres, solto e sem muita intervenção minha, para que eu perceba quando terei que intervir. Nada como ter na minha boca o sabor que trouxeste de uma outra, para que ele não fique, não se me cole e não me iluda. Nada como não ter nada de ti para nada poder esperar...

Algumas pessoas chegam para que o frio se instale, bem dentro e sem que nada possamos fazer para o arrancar, não de imediato, não quando seria bem mais fácil. Não sei porque teremos que as ter, se na verdade nunca nos poderão pertencer. Algumas pessoas conseguem revirar o nosso Universo e levar-nos a acreditar que este mundo é bem pior do que o vemos. Trazem dores que não nos pertencem e escolhem não tirar, porque sem elas deixariam de ser quem conhecem. Olham-nos bem fundo como se procurassem salvação, mas não se deixam olhar. Fogem com o olhar e refugiam-se no vazio que criaram, o mesmo vazio do qual deveremos fugir, recusando sa…

Amor a 50/50

Amor a 50/50. Já tive. Já soube o que significava sentir por metades, metade eu e metade quem me amava. Já consegui medir, e pesar, a pessoa que nunca me parecia bastar, porque cansar-me dela seria desistir da vida como a conheço. Amor a 50/50. Do mesmo lado e ao mesmo tempo. Amor que dava e recebia logo de volta, no mesmo segundo. Quando estávamos apenas nós, éramos mesmo só eu e tu e nada parecia ter espaço ou volume bastante para nos atrapalhar.

Tanto que recordo as palavras que não pareciam chegar, porque deixar de as usar, mesmo durante os silêncios a que as nossas bocas nos forçavam, se tornaria doloroso. Tanto que o doce que te passava me adoçava a alma e fazia acreditar em tudo, em ti, em mim e na força que parecia crescer de cada vez que nos tocávamos. Tanto que aprendi, quando estava contigo, porque aprender me aproximava e deixava pronta para o que me trazias.

Amor a 50/50. Amor que não se gastava, mas que gastámos quando decidimos explicá-lo. Amor que não voltaremos a ter, …

Natal velho e Natal novo!

Para cada Natal uma nova prioridade, não pela quadra em si, mas pela proximidade de mais um final de ano. No Natal novo, o de hoje, não encontrei nenhuma similaridade com o Natal velho, o de ontem. Sou uma pessoa nova, diferente, mais exigente e ainda mais consciente. Neste Natal tive corações novos, que entraram para encher o meu e é com eles que vou aprendendo a arte de acrescentar. Neste Natal, ao contrário do anterior, estou em mudança externa, bem maior do que a interna. Mas neste Natal, tal como nos anteriores, algumas pessoas não seguirão em frente e permanecerão tão-somente uma lembrança. Para cada Natal a esperança amplia-se e consigo ver-me ainda maior, mais intensa (para mal de uns quantos) mas bem mais capaz de abrir as mãos para quem as saiba segurar. 

Natal velho e Natal novo, apresento-vos a que era e a que sou. Tanto que deixei de ser e tantos doces-amargos provei em cada um dos que já estão tão lá para trás, que nenhuma lembrança é capaz de me escurecer os sorrisos qu…

A pequenez de que NÃO sou feita!

Já há muito que desisti de explicar a sensação que se cola, impiedosa, sempre que tenho razão. Desisti porque a solidão que se instala quando sou desapontada, sabendo que o seria eventualmente, é apenas isso, solitária e demasiado real. Desisti porque sou forçada a aceitar, dia-após-dia, que existem pessoas com uma fragilidade que lhes fragiliza o carácter e a vontade de serem melhores, todos os dias. Desisti porque não posso tomar as dores que não me pertencem, mesmo que me magoe a pequenez, a incapacidade de se olhar para o outro, vendo-nos e à injustiça a que vetamos a nossa alma, porque será ela a vaguear, pelo tempo que a condenarmos...

Há muito, muito tempo, a escuridão quase que me consumiu e tentou roubar a minha tranquilidade, a que coloco em tudo o que faço, porque a sensação de liberdade que conquistei, faz de mim a pessoa que pode, verdadeiramente, ser livre. Há muito que aprendi a reconhecer os que já não têm salvação, mesmo que os seus graus de perdição ainda me surpree…

Despojos de mais um Natal!

O que foi que te restou de mais um Natal? Mais um em que certamente correste, mudaste tudo e adaptaste muito de ti para que outros coubessem. O que foi que aprendeste com mais um Natal? Estás pronta para repetir, tudo, outra vez? O que foi que ganhaste, se é que alguma vez ganhas, mais tempo, mais amor e a companhia dos que contam mesmo? O que foi que viste repetido, ou mudaste para um outro Natal?

Despojos de mais um Natal, é assim que uma grande maioria vive, ano após ano, com o que não lhes enche nem preenche. O Natal passou a ser uma época de enorme corrida de celebridades, queremos mostrar mais, ser maiores e ter o que os outros não conseguiram no anterior. Já não se preserva o que deveria mesmo importar. Já não se dá beijos sentidos e abraços de mais de 6 segundos. Já não se deixa o relógio de lado e apenas se vive, vivendo com os que não poderão estar sempre, o que o Natal ofereceria se ao menos estivéssemos onde queríamos estar.

"Não é fácil" - Dirão alguns. Eu respo…

Mais um Natal...

Mais um Natal significa mais um ano. Mais umas quantas centenas de dias, para termos começado ou concluído algo. Mais um novo olhar sobre o que até já é velho, ou sobre o que conseguimos, finalmente mudar. Mais um Natal sem ti, dos muitos a que já me deveria ter habituado, mas este será bem diferente. Mais um Natal em que poderei, porque para isso terei tempo, lamentar o que não te fiz e tudo o que deixei por dizer, e olha que nem foi assim tanto, mas agora e depois de já não poder existir mais nenhum, não para ti e não para mim contigo, sei que deveria ter mesmo dito TUDO. Mais um Natal em que te ouvirei dizer, agora já apenas em lembranças, que não gostavas assim tanto do Natal, mas até sei do que não gostavas. Não gostavas das lembranças de felicidade distantes. Não gostavas dos cheiros que não tiveste como voltar a sentir. Não gostavas de quem te impedia de gostar da época que chegou a ser demasiado importante para todos nós, para que depois fosse tão pouco. Não gostavas de já não…

Sem tempo para mim...

Nunca sabemos quando podemos, de repente, ficar sem tempo, sem chão, ou sem projectos, porque todos os que nos atrevemos a fazer, por vezes simplesmente caiem.

Aprendi a deixar-me ir, sem demasiadas promessas, apenas a ser todos os dias mais um pouco. Vou-me levando e ajudando a que saiba onde pisar, mesmo que erre pelo caminho e é claro que erro muitas vezes ainda. Parece-me demasiada pretensão achar que controlo alguma coisa, mas se perder a convicção de que o faço quando o desejo, passarei a sentir o tempo fugir-me, mais rápido do que o faz já.

Não quero ficar sem tempo para mim. Não posso deixar para trás o que me faz feliz, mais completa e capaz de superar cada revés. Não quero tornar-me amarga, zangada com o mundo e com quem parece proliferar de forma negativa, como o fazem alguns cogumelos selvagens, muito bonitos à vista, mas extremamente perigosos e até mortíferos. Não quero deixar de querer quem me quis, sem que o pedisse, mas que acabou por se instalar.

Sem tempo para mim de…

O que posso contar, sobretudo a ti...

O que posso contar, entre muitas outras coisas que te incluem, é que pensar em ti me deixa tão tranquila que dou comigo a achar que me dopei e que tens alguma substância que entra no meu sistema, que se mistura com o meu sangue e flui de forma tão natural que pareces estar em tudo o que sou e faço!

Posso sempre contar, mas não a muita gente, que me forneces toda a energia que move o meu corpo, e que a forma como me vês me deixa a acreditar que sou realmente assim e que valho a pena, pelo menos para ti.

Já te respiro, sei de cor cada pedaço de ti, consigo guardar a tua voz e ouvi-la, de cada vez que não te tenho, sempre que te afastas demasiado e me encolho, com um medo que ameaça crescer, se imaginar que não voltarás.

O que posso contarsobretudo a ti, é que já importas demasiado, que és quem procurei muito antes de saber que precisava e que contigo não receio o que mudará, nem o que terá de ser ajustado, porque todos os momentos que nos couberem servirão para entendermos o que somos …

Esbarrámos um no outro!

Esbarrámos um no outro, assim, do nada, cada um na sua vida, quase sem nos vermos, não fosse o teu telefone ter tocado, bem perto de mim, arrancando-me dos meus pensamentos!

- Olá miúda.
- Olá para ti também.
- Caramba por onde tem andado escondida uma mulher tão bonita?
- Não estou escondida, tu é que andas distraído.
- PIMBA, toma lá. Nunca perdoas uma, estás igual.
- Igual não direi, mas continuo a mesma, por dentro.
- Só se for por dentro, porque por fora...

Se não te parasse, se não te conseguisse desviar o foco, irias certamente ficar a bater no mesmo o resto da tarde. Bonita, boa e mais do mesmo.

- Anda que te pago um gelado, está um calor daqueles.

A conversa acabou a ser bem agradável, falámos dos amores que se foram, dos que andam a espreitar, das prioridades e da vontade de assentar, de parar de procurar, de saber quem fica e porquê...

- O que andamos nós a fazer?
- Não percebi.
- Porque não voltamos a tentar? Já nos experimentámos.
- Credo homem, que maneira de falar.
- É …

Não deixes que me vá de vez.!

Não deixes e não permitas que outra tome o meu lugar, porque com o meu cheiro apenas eu. Com a voz que te chega dentro, que vai, volta e revolve cada parte de ti, apenas a minha.

Não deixes que me vá de vezNão deixes que pare de te querer desta maneira e que desista.
Não passes demasiado tempo sem me lembrares porque razão te quero. Não pares de me soprar as palavras que sempre te reconheci e que sei serem feitas, de encomenda, para mim.

Ai que o planeta se moveu, mesmo. De repente tornou-se tão claro o que preciso, que até poderás correr Seca e Meca, subir para além do que os meus olhos alcançam, que eu continuarei a querer que não deixes outra tomar o meu lugar.

É simples, fácil e incrivelmente natural que sejas tu, desta forma, até porque o meu corpo o reconhece e aceita.Se será à minha maneira, se será aqui, nesta vida, para ficar, não sei e confesso que me importa muito pouco, porque eu vivo o agora, absorvo tudo até última gota e percebo que se me chegou desta forma, foi porque…

Ter-te continua a ser o que tenho!

Ter-te já foi uma certeza, um lugar e um modo de vida. Ter-te era o que me passava a vontade de continuar, assim, eu e tu, em cada momento que criávamos e tanto que fizémos. Ter-te era parar de procurar, parar de lutar e não ter o que tivesse nome, cara e toque. Ter-te deixava-me em alta, assim que acordava e te via. Ter-te eram todas as palavras que trocávamos com sentido e tanto sentido fazia termo-nos...

A tua pele ainda parece tocar a minha. O teu cheiro está impregnado em mim e até a tua gargalhada
sonora ainda me faz rir. Nada do que eras e representavas parece ter passado ou deixado de existir. Nada do que imagina se revelou errado, foste apenas tu que não conseguiste ficar.

Vou continuar à procura do amor, nos mesmos lugares e com as mesmas características. Vou continuar a querer que o meu coração se encha e me preencha, porque apenas ele me deixa capaz de todas as proezas do mundo. Vou querer que o seu sabor se misture no meu e que me vás recordando, tal como ainda faço cont…

Quando os corpos se colam...

Alguns corpos recebem o privilégio de se reconhecerem de imediato, não precisando de qualquer ajuste e parecendo saber o que cada um deseja, e de que forma ficam prontos, assim que o outro se aproxime!

Quando os corpos se colam, depois dos lábios, das bocas e das línguas, passam a ser a extensão um do outro, e materializam, com o sexo misturado em muito amor, porque apenas assim faz sentido, todo o prazer que antecipavam, antes mesmo de se terem. Fomos concebidos para amar, para sentir, para desejar e ter do nosso lado a pessoa que faz tudo valer a pena. Fomos concebidos para propagar os sentimentos que apenas nós conseguimos, e de cada vez que retomamos uma relação, todo o nosso universo se ajusta, tornando os nossos dias "vivíveis", e plenos. Fomos concebidos para saber como dar prazer, tendo-o de igual forma no processo.

Os corpos só se poderão colar, ou deveriam, após algum tempo, após  muito conhecimento do outro, e de toques reais, com olhares postos nos olhos do outro. …

És de todos, queres todos e qualquer um te serve!

Já percebi que todos te querem e que podes ter qualquer um, que BOM para ti, mas eu não gosto do que gostam os outros e não quero produtos em massa como se viessem dos chineses. Prefiro as peças únicas, os exclusivos. Prefiro também saber que apenas sirvo para quem me serve. Multidões nem para compras, feiras ou jogos de futebol, não sou do tipo papagaio, e não repito o que os outros, na maioria das vezes, nem sabem o que estão a dizer.

És de todos, queres todos e qualquer um te serve. Bem, também não vou ser assim tão mãos largas, é que até a mim me faz confusão tanta mistura e falta de selectividade, por isso vou-te dar algum crédito e dizer que não vais com todos, mas que procuras, em alguns, o que às outras há muito deixou de servir. Cuidado com essa tua mania de pousar só por pousar, de cantares sem seres galo, e de não saberes distinguir galinhas de campo, das de aviário, é que até na carne o sabor é diferente. Cuidado com as comparações, com o uso de vocabulário idêntico para t…

Cartas de amor!

Parece que já ninguém as escreve, as cartas de amor, mesmo que muitos ainda preservem as que foram trocando, quando colocar sentimentos no papel era o que existia de mais profundo!

Hoje a minha querida Danda enviou-me umas cartas de amor de Ludwig Van Beethoven.

"Meu anjo, meu tudo, meu eu"...

Quando sentir é algo que nos corrói por dentro, sobretudo se não for partilhado, teremos que nos libertar, deixando voar as palavras que chegarão até à outra parte de nós e terão eco.

" O amor tudo exige e ele tem razão".

O amor é por norma doloroso, assim o foram escrevendo e descrevendo os poetas, os de ontem nas suas cartas e os de hoje nas letras das inúmeras canções que lhe dedicam. Não sei se dói porque tem que ser e porque alguém assim o determinou, ou se dói porque não o sabemos replicar e nos esforçamos mais do que deveríamos, ou menos do que nos caberia. Não sei porque não nos chegam amores suaves, tranquilos e a saberem do que podem dar. Não sei porque complicamos…

Até que começas bem, mas depois...

Até que começas bem, mas depois e sem saberes porquê, parece que ficas sob o efeito de um feitiço, de drogas leves, ou atacada de uma burrice natural. Talvez tudo passe por não seres assim tão perfeita, mas a verdade é que mesmo começando bem, os finais nunca são os esperados!

Por vezes dizem-te que esperas demasiado, que te iludes e que te apaixonas à toa, bla bla bla, NADA disso. O que fazes é sempre natural e lento, como aquela kizomba fantástica com passos certos, mas mesmo assim... Venha quem te explique de que forma se encetam relações agora, quem sabe não aprendes e não te tornas numa predadora. UI, isso é que seria um cenário admirável, irias vê-los a cair, um a um, com enormes desgostos amorosos. Não seria difícil, bastaria que te pusesses a jogar, que dissesses sempre o contrário do que estivesses a sentir, que te fechasse em copas e te tornasses demasiado cara.

Olha que já foste mais avessa e até juravas, a pés juntos e sem fazer figas por detrás das costas, que nunca te po…

Aos dezanove dias do mês de Dezembro...

Nunca uso palavras em vão, mesmo que as use diariamente e nas mais diversas formas. Nunca me gasto ou desgasto, não demasiado tempo, a tentar explicar o que alguns NUNCA serão capazes de entender. Não, porque não são. Não, porque não têm uma grama de sensibilidade e bom senso. Não, porque são demasiado pequenas e apenas conseguem ver até onde alcançam (não se lembram de sequer subir a um banco). Não, porque não me apetece. E porque nunca digo mais do que devo, faço questão de dizer apenas o que significar o que pretendo, assim sendo, aqui vão os meus votos para todos e cada um de nós:

Não vou falar do Natal, esse há muito que foi desvirtuado e até prova em contrário, não me entra, não neste formato. Vou, isso sim, falar de mais um final de ano, porque ele está aí, já, já ao virar de mais uma enorme esquina. Não se esqueçam que tiveram cerca de 365 dias, mais coisa menos coisa, para se decidirem, primeiro ponto. Depois para visualizarem e só depois carregarem as certezas. É MUITO TEMP…

Eu, e eu também, estamos de acordo!

Que somos duaseu e eu até já o sabíamos. Uma tem, por norma, mais poder do que a outra e por isso deixa cair as suas ideias parvas, retirando-lhe o poder, mas isso também já o sabíamos. Então e o que mudou agora? Mudou a gerência, com um ano novo à porta, existem novas normas. Se uma delas geriu mal a vida de ambas, há que saber dar a mão à palmatória e repensar estratégias.

Que mal há em se ser mais duro, mais obstinado e com mais fel em vez de mel? O mundo de qualquer das formas até já é assim. Acham que fiquei sem reservas de amor? NÃO, direccionei-o, para as pessoas certas, para o meu mundo, aquele que "eu" domino. "Eu", a outra.

Eu, a nova, aprendeu da forma mais dura a não confiar. Não por uma razão em especial, apenas porque as pessoas não são confiáveis, mas isso até a outra sabia, apenas achou que todos merecem uma segunda chance, coitada!

Fazer o que nos fazem, tratar como nos tratam, isso sim está certo e não devemos dar nem mais uma migalha que seja. …

Quando menos se espera!

Quando a relação, mesmo que desconfortável e a correr de forma errada  se vê confrontada com um terceiro elemento, o nosso mundo começa por ruir primeiro e só depois é que conseguimos pensar e sentir!

Quando não planeámos que entrasse alguém para nos resgatar, porque nos sentíamos confortáveis na nossa infelicidade, não tendo o que já nem sabíamos se fazia falta, acertar os passos e decidir torna-se mais doloroso do que a dor que nos assolava antes e com a qual já sabíamos viver. Quando menos se espera, ou quando já deixáramos de esperar por um milagre, aparece quem nos consegue sentir, quem nos vê, mesmo e quem nos arranca os pés do chão. Mas e que fazer quando não somos apenas nós? O que dizer a quem também já era tão miseravelmente infeliz quanto nós, mas que simplesmente deixou de saber como nos deixar ir? Quem escolher e o que mudar para que possamos mudar, voltando a viver? Quando menos se espera,chega quem nos lembra que a vida é mais do que acordar e adormecer. A vida terá que …

Se acreditares, consegues!

Quando o que te dizem te toca e faz sentido. Quando acreditas em cada palavra, consegues superar tantas coisas, ampliando a tua disponibilidade, aceitando e incluindo mais um. Os que estão na fase dos recomeços, os que terminaram, achando que não voltariam a desejar ou a serem desejados, entendem do que falo!

Chegamos a uma fase, alguns de nós, em que apenas queremos TUDO, não aceitando menos de nada, mas arriscando nunca chegar, nunca ter e nunca encontrar. Queremos o que não conseguimos ter antes. Queremos emoções que se diferenciem de tudo o resto. Queremos ser apenas nós, em tudo o que pertence ao outro. Queremos não duvidar, sentindo que nos conseguem entender, de cada vez que arriscamos medos quase infundados.

Porque se complica o simples? Porque se magoa quem nunca nos magoou? Porque se abandona quem nos ama?

Porque deixámos de acreditar? Talvez  porque permitimos que o cinzento do inverno ofuscasse as cores do verão. Talvez porque nos cansámos de querer o que ninguém parece ser …

Eu pedi alguém como tu!

E tu quem és? Quem foi que me chegou assim?

Estou no início, nas descobertas, na procura das legendas, dos olhares que ainda não decifro e dos quais fujo, pela intensidade e pelo prazer que me passam. Ainda não sei quem és, nem porque me procuraste agora, mas sei que mudas tudo. Sei que há muito te quero. Sei que preciso do que me dás e do que me fazes querer e sentir. Não sei quem és, pergunto-me muitas vezes, mas não descubro, não associo, não entendo, porque pareço não merecer o que me trazes.

Onde foi que andaste a minha vida toda? Já me atrevo a perguntar, porque tenho aprendido mundos desde que começaste nesta tua nova demanda, de mim, para me fazeres feliz e para me sentires feliz. Tudo o que sou, faço e digo, trás-te no percurso.Tudo o que desejo e vislumbro no meu futuro, inclui-te. Tudo o que planeei, lá atrás, passou a fazer tanto sentido, porque sentir-te é a sensação que me importa manter, todas as outras são as que conhecia e já tinha.

Eu pedi alguém como tu. Eu pedi o t…

Tudo o que me faz feliz, permanece!

Tudo o que me faz feliz, permanece. Não importa se é difícil, distante, ou vulnerável, com toda a vulnerabilidade de que são feitas as relações, se me faz feliz insisto, invisto, tento, volto atrás e recebo tudo o que posso!

Eu já sei ao que sabem os teus beijos. Já sei como me apertas, forte, de cada vez que te olho e mesmo sem que o peça, porque já me sentes tanto dentro de ti, que o que sou e penso te faz mover da forma certa. Eu já sei como o meu corpo se adapta ao teu e que voltas precisamos de dar para que todas as voltas sejam dadas.

Tudo o que me chega de ti, até o menos bom, é bom o bastante para não o querer de mais nenhum outro. Fazes-me feliz, é um facto. Dás-me o que julguei não conseguir encontrar. Vês-me como sou, mesmo. Tens a determinação e a estrutura para não te assustares com o que digo, muitas vezes apenas para me defender de mim mesma. Seguras-me de forma firme e decidida, até quando arrisco fugir, mas de mansinho, assustada com o tamanho de um amor que não cessa…

Eu tento que tu me entendas!

Eu tento, todos os dias, ser melhor e ser a que melhor se encaixa em ti. Tento não sair muito do que esperas, mas mantendo o que sou para que me consiga reconhecer. Tento que me vejas como me sinto e que saibas onde ficarei enquanto ficar contigo. Tento falar do que sei, ouvindo-te com atenção, porque preciso de cada palavra para saber de ti. Tento, tenho tentado, deixar-te mais seguro e sem os receios que também sinto, mesmo que os tente afastar.

Relações versus emoções, que combinação tão explosiva, mas a única que nos deixa capazes de escalar montanhas, de correr atrás do que para muitos serão sonhos, mas para outros tantos, uma realidade possível e desejada. Relações que nos fazem ver de forma mais clara, tentando, em todo o percurso, fazer do outro tão feliz quanto acabaremos por ser. As relações são o que conseguimos após umas quantas tentativas, muitos erros, uns corrigíveis e outros matando tudo à sua volta.

Eu tentei, e consegui perceber porque te amo desta forma. Tentei perceb…

Foi-se embora sem chorar!

Os amores vão e vêm. Algumas dores chegam, instalam-se, mas também conseguem sair, se as quisermos deixar ir!

Não te agarres ao que não tens forma de mudar, e nunca deixes de ser tu, nem por uma boa causa. Igual aos outros, mais do mesmo, não serve, não preenche e no final tem custos demasiado altos.
Não te afogues, não agarres a mão de quem se deixa ir para o fundo, salva-te primeiro, de ti. Não cries ilusões, e não esperes que te vejam se nunca te souberam olhar.

Desta vez ela soube como se ir embora, sem chorar e sem nunca olhar para trás. Desta vez ela soube libertar-se de um amor destrutivo, porque nem sequer era o dela. Desta vez conseguiu acreditar no que viu, porque para lá do olhar só estava o vazio. Desta vez teve um prazer maior, mas que ela se proporcionou, apenas teve um corpo diferente.

lentidão dele contrastou demasiado com a velocidade que ela já imprimira à sua vida, e a duas velocidades diferentes ninguém pedala, não para um lugar que valha a pena. Alguém conseguiu, …

A felicidade tem muitas caras!

Não existe apenas uma forma ou formato para a felicidade. A felicidade tem mesmo muitas caras e com cada uma podemos ter tudo, ser tudo e sentir o que merecemos. A felicidade maior vem da paz que carregamos quando estamos bem connosco e com o mundo que nos interessa. A felicidade está em ti e em ti também, quando és a pessoa que a minha pessoa reconhece.

Sinto-me estupidamente feliz, do acordar ao adormecer, porque sou igual ao meu reflexo e porque reconheço quem está do outro lado de mim quando me olho. Sinto-me pronta para qualquer voo, não importa o tempo e a distância. Sinto-me capaz de conquistar o mundo, porque vivo nele e faço por respeitar o tempo, a natureza, os animais e até as pessoas, mesmo as que me inspiram pouco respeito, mas dessas sinto pena e desejo luz na alma e paz no coração, quem sabe assim não deixam de apenas ocupar espaço. Sinto-me capaz de responder a qualquer pergunta, as que me vão fazendo, porque as minhas são respondidas por mim, uma a uma. Sinto-me de c…

Terminar as relações que o ano termina!

De cada vez que termina um ano, devem terminar as relações causticas e as pessoas que apenas passaram de raspão, mas que nos lascaram parte da alma, sobretudo pelo muito que lhes falta ter. De cada vez que nos formos, para outro lugar, vida, ou relação, para trás deverá ficar quem nunca esteve realmente, não pelo tempo que nos fizesse querer esperar.

Alguns, ainda poucos, procuram o sentido do que são e fazem por aqui. Outros tantos, a maioria que anda à deriva, testam-nos diariamente, mas também nos fortalece e assegura de que estamos certos e eles perdidos, irremediavelmente.

De cada vez que mais um ano se aproxima do fim, tendo a limpar coisas, lugares, momentos e sobretudo pessoas, porque no seguinte, naquele que irá exigir ainda mais de mim, apenas quero quem eu queira realmente. Não faço favores. Não olho duas vezes para o mesmo lugar degradado e não dou segundas chances a quem foi tendo várias da vida e as descurou todas. De cada vez que as horas vão passando, rápidas, numa co…

Que peso tem o meu amor por ti?

Que peso tem o que te deixa o coração preenchido? Como é que amas? Achas que o fazes da forma que te deixa mais completo e com todos os desejos satisfeitos? A tua alma fica cheia e com a certeza, de que dás, a cada dia,  mais um passo na direcção de quem também te ama?

Quando temos dúvidas e quando a resposta não é um SIM redondo, então estamos a adormecer, a seguir por um caminho que poderá muito bem não ter volta, porque tudo o que importa tem que ser alimentado diariamente, com pedaços de nós, com o que nos compõe e só assim poderemos ser vistos e sentidos.

Na minha vida, tudo o que me faz bem, e tudo o que vale a pena, pesa mais do que eu mesma, ocupa o espaço mais importante, tendo lugar de destaque, ficando bem visível para que não tenha como me esquecer. Sendo eu a condutora do meu destino, então cabe-me a mim encontrar os limites, levantar as barreiras que inevitavelmente irão surgindo e ajustando o que for saindo fora do planeado. Mas esta sou eu!

CLARO que quero amar e senti…