Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2017

Estou cansada de me sentir cansada, de mim!

Embora lá apanhar-me do chão! Hoje estou down, nada me inspira, sobretudo a ideia de enfrentar um novo dia porque estou tão cansada, de não te ter, de estar e de continuar à espera que me escolhas, que me faças sentir uma mulher sem máscaras, natural, eu.

Já te tive, sei ao que sabes, como me olhas, de que forma a tua voz me faz sentir tão viva e pronta para deixar de ter medo, para aceitar que afinal preciso mesmo de ti e te quero por perto...

Estou cansada de me sentir cansadade mim, da minha exigência, de querer que tudo passe por mim, de não saber partilhar, de me refugiar numa mulher que tem tanto para dar e que sabe como se completar, bastando que aceite quem está do outro lado.

Não sei onde acabo a ir buscar as energias de que preciso para continuar aqui, à tua espera, a querer-te como se fosse hoje, o primeiro dia em que soube que terias que ser tudo e que se calhar já o foste antes!

Nós outra vez!

Estou a olhar-te, aninhada no cadeirão de verga, enrolada sobre mim, nua, cobrindo apenas o que te manterá a olhar-me e sentindo que já não sou apenas eu. Arranjas sempre uma forma de encontrar um tempo para nós. Seguras as pontas dos nossos desejos, que até já são muitos e arrastas cada um para onde saberemos satisfazer a vontade que sentimos, quase desesperada, de estarmos juntos.

Nem sempre falamos, mas falamos quase sempre e dizemos o que o outro precisa de ouvir. Querer e incluir alguém na nossa vida é dar-lhe, tudo, de todas as formas, porque acabaremos alimentados do que o alimenta. Gosto de todos os recantos que descobres para nos acolher. Cantos onde já estiveste apenas tu antes. Lugares com a magia que soubeste sentir, tal como me sentes a mim agora. Não nos cansamos dos beijos e sempre que as nossas bocas não falam de nós, sentem-nos. A tua meiguice faz de mim uma mulher ainda mais doce, pronta e desejosa de te dar a mais ínfima parte de todo o prazer que me passas.

Tenho …

Estou à tua procura!

Estou à tua procura. O aeroporto parece-me ainda mais impessoal e incrivelmente movimentado, olho sem te conseguir ver, estou a sentir o meu peito a arfar com a ansiedade, com o receio de que tenhas desistido de vir e de que não me tenhas perdoado. Não sei como ficaria, que restos de mim sobrariam se decidisses sair do cenário agora, logo agora em que finalmente percebi que é por ti que corro e tento ser a melhor, a mais bem-sucedida, a que é reconhecida por todos. Nada, mas nada do que construí fará mais sentido se não o puder partilhar contigo.

Consegui, durante as três horas de viagem, lembrar-me de cada palavra que trocámos nestes cinco anos de namoro, intensos, reais, verdadeiros e que me tornaram numa pessoa mais focada em ter e dar felicidade. Foste tu que me ensinaste a não acordar rabugenta e stressada. Foi contigo que consegui olhar para o mar que povoa a minha janela com serenidade, aceitando que a sua imensidão me suplanta e me pode trazer paz. És a minha escolha, a parte …

De olhos fechados!

Nem sempre consigo olhar-me como sou. Nem sempre aceito as minhas incapacidades esquecendo-me do que ainda não fiz. Há tanto para pesar e medir, tanto que abraçar, sacos de desafios, riscos a correr, mas em dias como o de hoje, com os olhos fechados, a tentar sentir-me, torna-se ainda mais complicado aceitar-me, mas tão fácil entender-me. Quando não for eu mesma a ler o que escrevo. Sempre que não passe por mim descodificar-me, então aí sim, não terei como entender o que faço aqui.

Nada é preto ou branco comigo. As minhas cores misturam-se. Os meus sons nunca são iguais e o que me enlouquece hoje, amanhã já estará superado.

De olhos fechados, comigo e em mim, já vi mais do que tu que supostamente os terás bem abertos, mas ainda não te encontraste. De olhos fechados sei como tactear cada pedaço de vida que apenas eu poderia ter vivido. De olhos fechados, mas bem consciente do que está à minha volta, quem e com que propósito. De olhos fechados, não para que não te veja, porque estás em …

Deixei de ter que esperar por ti!

Voltei a sentir-me uma menina. Adormeço a pensar no que pensou de mim, e acordo a desejar que já não tenha como deixar de me querer. Começamos e terminamos os dias juntos. Estamos um no outro e um com o outro, mesmo quando não nos falamos e já somos bem mais hoje do que ontem,  esperando que o amanhã chegue bem depressa.

Gosto do seu cuidado quando me olha e do toque que toca mesmo, bem no centro de uma alma que já se sentia cansada. Gosto de quando entende de tudo o que falo, e sobretudo do que ainda escolho calar, com medo de que se assuste. Sei que tem uns quantos receios. Milhões de perguntas. Lugares para percorrer comigo. Sei que esteve à minha espera, mas que falhou ver-me mais do que uma vez. Eu estive sempre aqui. Reconheci o cheiro que passava sempre que passava por mim, mas não tive como o chamar antes, só me restou esperar, bem mais do que muitas vidas, até que se voltasse e fosse capaz de me reconhecer.

Ele sabe quem sou, sem saber como. Ele sente que o calor que o meu c…

Quando sabes o que importa, importas-te!

Quando sabes, porque já o percebeste, que precisas de muito mais do que aquilo que recebes, decides parar de desculpar quem não tem, não é e não sabe o que fazer contigo. Quando sabes, porque queres e procuras saber, o que te move, faz feliz e acrescenta, paras com as migalhas que apenas sujam o chão que pisas. Quando sabes, porque aprendeste, que só atrais o que precisas de viver, aceitas e reforças tudo o que és. Quando sabes, porque o viveste, que no final sairás mais forte e segura, permites, por breves momento apenas, que recebam tudo o que nunca tiveram, mas que a ti te sobra e continuas o caminho.

É tanto o que te pode trazer para baixo, fazendo-te cair, que estares em pé e segura, não te permite sequer brincar com o que és e com o que já armazenaste. Não sei do que não sabem os outros. Não sei o que falham entender sobre mim. Não sei e nem tão pouco me interessa, que se sintam incapazes de me descodificar, quem for certo, certamente que chegará até a mim.

Quando sabes o que q…

Para que os vazios não se instalem!

A sensação de não se saber, ou de não se conseguir, do nada arrasta todas as outras, impedindo-nos de saborear até os sucessos. Nada no nosso percurso deve ser feito a solo. Mesmo que nos saibam bem alguns momentos e que os silêncios cheguem para nos aquietar, o melhor da vida será sempre a partilha, o outro do lado certo, a opinar, a acompanhar, até a discordar, mas connosco, por nós e gastando do tempo que realmente nos importa. Se não for assim faz muito pouco sentido.

Tanto que já caminhei, que de cada vez que olho para trás nem acredito, já sou muito mais uma fazedora, não me limito a sobreviver, vivo realmente, sinto, estou presente na minha vida e na dos que amo. Agora olho com atenção, não passo apenas, porque quero e preciso de bem mais da vida para estar completa, mas os vazios por vezes teimam em se instalar, e apenas porque "tu" ainda não fazes parte do todo, não te tenho como meu e não sei que nome nos dar e o que esperar, mesmo que espere muito.

Para que os vaz…

Se planear adiantasse...

Planos fazemos, uns quantos, e até que podem correr bem. Sem perspectivas, sonhos ou desejos, dificilmente chegaremos a algum lugar, mas até quando tudo parece estar no lugar certo, após toda a confirmação e verificação detalhada, vem o raio da vida e diz-nos - Ah pois não, querias que fosse tudo à tua maneira? - E não é, ou raramente o será.

Se planear adiantasse, planearíamos até e sobretudo o amor. "Quero agora, neste preciso momento". "Não me vai dar muito jeito nos próximos dois anos". Adiantaria e muito, mas perderíamos o factor surpresa. O sabor não nos ficaria na boca, como ficam todas as lembranças doces e até as amargas. Viver deixaria de ser um risco e um acertar diário, para passar a uma lista de compras. Se planearadiantasse, terias chegado primeiro que todos os outros e depois de já estar pronta. Seria eu a escolher, em todos os momentos, o quando e o onde. Se planear adiantasse, não estaria agora crivada de tantas derrotas e qualquer dos lugares que …

Tanta vida para além de nós...

Não sei se andámos depressa demais. Não sei sequer porque nos deixámos ir depois de umas quantas palavras trocadas, que hoje nem me parecem assim tantas. Não sei que necessidade imperiosa é esta que sinto, para tanto querer sentir este homem.

Tínhamos que nos voltar a ver. Era premente que o olhasse fora de todo aquele cenário que nos parece ter enfeitiçado antes. A aldeia perdida. A água que ainda hoje consigo ouvir. A noite que alimentámos com muita sede de uma vida que ainda não chegou onde precisamos, não até hoje.

Passei na ponte que me leva tantas vezes e vi a sua silhueta de longe. Já me é familiar e tem um sorriso que quase me desmancha, mas eu permaneço de ar controlado, segura de mim, bem mais do que o sou realmente. Os beijos foram a fugir, aqui, neste lugar sem magia, sem a nossa, não me deixo levar e afasto os pensamentos do corpo que já tomou o meu. Levantou-se quando me aproximei, que vontade de o abraçar logo ali e de reter na roupa o cheiro que já tenho na mente. Fal…

Como é que sou para mim?

Como é que sou para mim? Ainda não terei aprendido a ver-me na totalidade, mas já sei mais de mim hoje, do que em outros caminhos que percorri, sem entender muito bem porque o fazia, para onde e quando deveria parar. Como é que sou para mim? Todas as vezes que fecho os olhos reconheço-me, e fica tão mais simples saber porque penso assim, porque te quero desta forma e porque acabo insegura sempre que não te sinto... Para mim sou fácil e acessível. Para mim sou quem gostaria de ter ao meu lado. Sei e quero sempre amar com intensidade, como se o mundo amanhã já não coubesse mais e não chegasse para dar tudo o que reservei para ti, sim tu mesmo, tu sabes que é de ti que falo, é contigo que sonho, é do teu corpo que me lembro e é nele que fico mais mulher.

Hoje, agora e mesmo antes de te olhar, li-te, escutei-te e soube que me irias mudar o mundo. O que sinto por ti não vai passar. O teu sorriso e a forma como me tocas carregam o que preciso. Tu és o que quero, porque é contigo que sei com…

Sinto que tenho a vida ideal!

Sabem o que sintoSinto que tenho a vida ideal! Agora, cada vez mais, sei que fiz as escolhas certas. Sei que estou do único lado possível, e fico devastada quando encontro vidas desfeitas, vidas que caíram, algures, após tanto tempo e investimento e que falham reerguer-se, não conseguindo vislumbrar a luz ao fundo do túnel. Se adicionarem a tudo isso, o factor idade, tudo se torna ainda bem mais negro.

Tenho-me deparado com verdadeiras batalhas, com gente igual a todos nós, mas que por diversas razões viram todo o seu Universo cair, abruptamente. Sem forças para recomeçarem alguns, mas determinados outros a conseguirem, uma vez mais, experimentar os sabores que acompanham as relações novas, as conquistas, de um emprego, de uma mudança de casa e até de amigos que se instalam e que "lavam" as feridas.

Como tudo chega na hora certa e para nos mostrar o que é importante, para nos fazer repensar e reavaliar muita coisa, obrigando-nos a olhar mais para nós de forma crítica, sobr…

Chegámos os dois um ao outro!

Estás, finalmente, dentro de mim e não apenas do corpo. Consegues fazer com que me sinta muito para além de mim e que te devolva no mesmo ritmo, aquele que imprimimos enquanto nos alimentamos de cada um. Sabes como me deixar pronta, tens a suavidade e o mel que se mistura, de forma perfeita, no que somos e no lugar que escolheste para me fazer tua. Estás finalmente a provar-me que estava certa quando te reconheci. Quase que nos esgotámos nas mensagens, elas seguiam-se dia fora levando e trazendo o que crescia de forma descontrolada. A tua calma estava a quebrar-se e ao invés dela, vinha agora, bem mais do que por palavras, a vontade que eu esperava que tivesses de mim. A água corria na nossa direcção e com ela chegava o som do lugar certo, ali, onde escolheras tu e onde estaríamos ambos à espera do que já não tínhamos como adiar. Com o cair da noite senti um arrepio bom, estava contigo e ia saber ao que sabias. As estrelas sorriam-me de volta enquanto as olhava agradecendo num silêncio …

Sabes o que é o amor?

Quem é que sabe do que fala, quando fala de amor?

Estarmos por aqui, procurando quem nos procura, mas recebendo, tantas vezes, quem não está pronto para nos ter, transforma o amor num desafio demasiado profundo e perigoso. Estarmos aqui, capazes de entender que nem sempre poderemos ter quem nos revolva as entranhas, mas de uma forma que nos levante ambos os pés e deixe a flutuar, termina com qualquer desejo de saber um pouco mais sobre o que nada sabemos.

Quem pode ter o amor que lhe serve e sentir que o sabe manter?

Amar deixa-nos, invariavelmente, com a sensação de que temos que ir retornando à primeira lição, vezes sem conta e sempre que comecemos a amar. Amar quem sabe muito menos do que nós e que ainda apenas tacteia na escuridão em que se mantém, pode ser um suicídio emocional. Amar sem ainda saber o que comporta verdadeiramente um amor à séria, com tudo o que nos tentaram ensinar, mas que falharam provar, devolve-nos à condição de seres demasiado falíveis para conseguirmos ser f…

Também recebo cartas de amor!

Sou a mulher das palavras, mas por vezes conseguem surpreender-me e acabo a receber o que tantas vezes envio. Afinal também recebo cartas de amor!

Olá miúda,

Resolvi usar as mesmas ferramentas com que tanto nos encantas, para te mostrar que é possível teres de volta tudo o que dás. Sei, sinto e entendo, que uma mulher como tu, precisa de ser amada de forma tão intensa, que acabes a ter silêncios pela imensidão de carinho e de entrega com que te envolverão. Fizeste de mim uma pessoa mais inspirada e inspiradora. Renovaste a minha fé nas relações e permitiste-me continuar a sonhar, agora contigo, porque finalmente tenho um rosto para colocar na mulher pela qual tanto esperei.

Fica já aqui declarado, assinado por baixo e com todo o meu coração, que devotarei cada um dos meus dias a tentar que me vejas para além do olhar que permites aos outros. Eu sou diferente, SIM, porque me mudei, porque passei a acreditar e porque o mérito é também teu. Dá-me um chance, permite que te mostre do que s…

Trouxe-te para a minha realidade!

Aceitei conhecê-lo, não sei muito bem porquê, ou talvez até o saiba e apenas recuse aceitar. É diferente. Soa-me a genuíno, porque ou muito me engano, ou as suas malas, as tais que tanto parecem pesar aos restantes mortais, são mais carregáveis. O encontro pareceu natural, como fizemos ambos por parecer, mas bem dentro de mim, senti que os olhares e as palavras que saiam das nossas bocas, as mesmas que se deveriam ter beijado mal, foram demasiado pensadas. Quando esbarramos em alguém especial, sentimos o peso que a vontade de acertar carrega. Quando e de cada vez que os ventos sopram na nossa direcção, sem causar danos, a vontade de recomeçar instala-se e depois, bem, o depois acaba por acontecer. Olhei-o enquanto o fumo do cigarro se misturava com o lugar que escolhi. Os barulhos do rio e o calor que o sol parecia deixar cair em demasia sobre o meu corpo tenso, envolviam-nos num misto de sonho e realidade conquistada. Temos que nos sentir corajosos o bastante para termos actos de cora…

Que saudades tuas...

Que saudades tuas... Quem é que eu quero enganar quando digo que já te fechei no meu armário das boas recordações? Nem sequer a mim mesma, porque na verdade basta que veja uma nova foto tua, para que até as minhas entranhas se remexam, para que todo o meu corpo sinta a tua presença e que imediatamente um sorriso se rasgue. É bom ver-te, saber-te de bem com a vida, mas dá uma saudade ouvir a tua voz outra vez e o que eu dava neste momento por uma ligação, por um olá que sei que não poderia acontecer até porque nem trocámos os novos números.

São tantas as vezes que para ti e sobre ti escrevo que por vezes receio jamais voltar a ter uma vida normal, sem conseguir sorrir e aceitar um outro homem. Estou lamechas neste momento e apenas porque ao ver a tua nova fotografia voltei a querer incluir alguém nesta vida que levo sem pensar muito em mim, no que quero verdadeiramente e no que necessito enquanto mulher. Fujo de todos os que me possam vir a interessar. Digo-me indisponível, mas a verdad…

Estarei a sonhar?

Estarei a sonhar? Se for, estão proibidos de me acordar, porque a sensação que tenho e que me percorre todo o corpo, é a que preciso manter!

Daqui, deste lado de mim, muita coisa parece certa e sem nada para contestar, mas mesmo não me apetecendo rir, consigo sorrir por dentro, sabendo porque estou desta forma, quem me deixa assim e até onde e quando me consigo manter. Se a decisão tivesse sido minha, não estaria tão desapontada, porque teria mais, teria tudo e ter-te-ia a ti. Não me quiseste, não foste capaz de nos manter e continuaste a correr sem nunca olhares para trás, para mim. Agora, a esta distância, consigo perceber que mesmo com maquilhagem, a que uso para fingir e para parecer que estou sempre bem, já vou conseguindo ter emoções fortes, deixando de andar em círculos e de me procurar, porque não fui eu que me perdi.

Hoje, e mesmo que esteja realmente a sonhar, sinto que renasci e que ainda sou capaz de tanto. Sou capaz de tocar o corpo que carregue toda a sedução, emoção e c…

Mostra-me como te posso ter de volta!

Se não estás o sangue não corre, o coração não bate e o ar não circula. És o meu oxigénio, tudo o que inspiro e me enche de força, de determinação e de segurança. Fala comigo por favor, só mais uma vez e diz-me o que esperas que seja, como desejas que te inclua e de que forma te posso encher de tudo o que sempre esperaste de mim. Eu prometo que vou aprender rapidamente, que vou parar de reclamar de uma força que não tenho e que desta vez passarei a despir-me do que sou apenas para os que me vêem por fora.
Fazes-me  falta, por isso enrolo-me e escondo-me, mas o sentimento não se esvai, continuo a sentir o teu cheiro, os teus lábios quentes, doces e cheios. Os teus beijos acalmam-me, passam-me marés de vida, de vontade de ser diferente, muito mais mulher. Tudo ganha outro sentido, até o sono fica mais tranquilo. Tudo em ti me permite saber por onde vou e como espero acordar amanhã. 
Eu aceito e admito que sabe bem ser protegida, conduzida e amada sem restrições. Sabe bem não pensar demasi…

Como é que se sabe quem é?

Como é que se sabe quem é? Fala-se, tecla-se, pede-se, ouve-se e deseja-se, até que se passa a saber. Quando já não se consegue estender mais o desejo, então vemo-nos, conhecemo-nos, tentamos perceber se o que sentimos se vai reflectir no toque, no olhar e nos beijos e avançamos, ou não.

O frio na barriga, o medo irracional, o desejo de que possamos ter encontrado a outra metade de nós, tudo se mistura e se agiganta sempre que damos o passo, o tal, o que mudará tudo para sempre. No final pode ser bom, podemos reconhecer-nos, o abraço pode ser tranquilizador, o toque, o cheiro, o sabor poderá misturar-se com o nosso e passaremos de um a dois, do querer ao ter. Só pode ser bom, mas que assusta, assusta.

Como é que se sabe afinal, que quem está do outro lado é quem importa? Só testando, caminhando e sentindo, não há outra forma. Para alguns não saber estimula. Para outros complica e obriga a retrair. Não saber deveria deixar-nos apenas ir caminhando, mas parece que já ninguém quer apenas …

Onde estiveste a minha vida toda?

Deixa que a música se apodere de ti. Deixa-te ir, lânguida, sensual como toda tu és e enlouquece-me. Deixa que acompanhe o corpo que moves, segura, mesmo que digas tremer por dentro. Deixa que usufrua da mulher que agora me pertence e faz de mim o homem que te acende e incendeia. Deixa que fique, contigo e em ti, pelo tempo que aguentarmos ambos.

Não sei que poder é esse que tens para me deixar confuso e louco de um amor que não entendo. De onde vens e onde estiveste a minha vida toda? Nunca pareço conseguir esgotar-te, mesmo quando me forço a não parar. Não sei quem és tu mulher e porque és minha agora. Não sei se sou de quem te lembras quando acordas, mas asseguro-te que és quem fica muito para além da noite, e começa, recomeçando, mal o novo dia me toca. Não sei muito do agora, mas prometo passar a saber muito mais, de ti comigo e de nós quando já não precisar de apenas te sonhar.

Onde estiveste a minha vida toda e porque não estás já aqui?

Estarei apenas a regressar a casa...

Cada uma das decisões que agora tomar, mesmo que possam parecer aleatórias, ou apenas no seguimento da rotação do mundo, a verdade é que as tomo porque já me estou a preparar para regressara casa. Nada é por acaso. Nada nos chega só porque sim. Nada do que nos entra e faz mossa, deixará de nos questionar sobre os porquês e os ses. Nada poderá apenas ser nada, quando se tratar de nós.

Regressar a casa vai certamente dar-me a paz que procuro, não como se me referisse ao encontrar do Cálice Sagrado, mas perto, muito perto. Regressar a casa significará não ter que continuar a escolher, a procurar e a desistir. Vou poder deitar-me na relva húmida, e olhar o céu familiar, acompanhando os sons de pássaros que não identifico, mas que já ouvi antes. Vou saber como me movimentar e por que ruas caminhar e uma acabará por me levar, inevitavelmente, a todas as outras. Os cheiros estarão lá e até as vozes de antes. Os risos que me faziam sorrir muito antes de entender as razões. Os ralhetes, que nu…

O tonto desistiu de quem poderia ser!

O tonto perderá o amanhã na busca eterna do ontem. Correrá milhas de caminhos, dos quais já nem se recorda bem, na esperança de que a vida, a que acha que ainda lhe pertence, esteja lá. O tonto aceita e reconhece apenas amores pequenos, porque já teve um grande que o preencheu e passou tudo o que já perdeu, mas nem se apercebeu, não ainda, não porque continua atrás do que deixou de existir. O tonto não aceita quem o estiver a olhar, vendo-o pelo que se transformou e gostando, talvez por todos os mares que já atravessou. O tonto desiste de quem o está a amar, não percebendo que também ele poderá partir.

As horas repetem-se, dia após dia, mas mesmos que consigas ver cada segundo e minuto, não terás forma de parar nenhum e de voltar a sentir o sabor do ontem. Na memória deve apenas permanecer o que é recordável, por vezes até o menos bom, para que possamos entender, crescer e avançar. Na vida, no corpo, no hoje, terá que estar o agora, as coisas, os tempos, os sons, os toques e as pessoa…

Já me dei permissão para querer!

Gostava de poder querer sem me sentir testada. Gostava de ser eu a ditar o modo como deveria ser amada. Gostava de conseguir juntar o que já aprendi, com tudo o que ainda terás para me ensinar. Gostava de ser a tua pessoa importante.

Já me dei permissão para querer, porque de cada vez que o faço, duplico o que tenho e passo a transbordar de sentimentos a que muito poucos têm acesso. Já me dei permissão para ser como era antes, livre, sem nada que me amarrasse aos lugares onde pareço ter que viver. Já me dei permissão para recusar o que não me faz bem, soprando, para bem longe, o que quase me matou. Já me dei permissão para dançar as mesmas músicas, uma e outra vez, sendo eu no meu formato e importando-me muito pouco com o que importa aos outros. Já me dei permissão para parar de ter medos, não regressando ao lugar onde ficava sozinha, confusa e assustada.

Vou ter que fazer parar a velocidade de pensamento, regulando os sentimentos. Parar com a espera que me deixaria a desesperar, para…

Tu, o homem da minha vida?

Como é que o homem da minha vida podes ser tu, um ser com tão pouca tolerância e sem qualquer entrega ou amor disponível?

Seres mesmo o homem que a minha vida sempre desejou, não te confere o direito de me destituíres de todos os direitos que já conquistei. Terias que ter chegado, mas para me cuidar, acrescentar e amar de forma desmedida, como quem perderia parte da vida se me perdesse. Terias que me saber ler, melhor do que qualquer outro ser a habitar este mundo que apenas me importava porque andavas por aqui. Terias que permitir ser tocado, sobretudo por dentro, para que nunca arriscasses sequer querer fugir de mim.

Seres o homem da minha vida não faz de ti quem tanto pareci desejar e julguei saber manter. Escolheste continuar a fugir, como já fizeste em muitas outras vidas e eu escolhi deixar-te ir nesta. Já aceitei que apenas terás breves paragens, toques que me perturbarão corpo e alma, mas espero conseguir distinguir-te na multidão a próxima vez que te encontrar, porque nesse mo…

Não permitas que te intimide!

Deixa correr o que sentes, devagar, sem qualquer prazo e até ao que já sinto. Não permitas que te intimide e vê-me inteira, como sou por dentro e muito antes do que mostra o meu exterior. Diz-te o que precisas de ouvir para recomeçares comigo. Enche-te de esperança e determinação, porque antes do final do teu caminho estarei eu. Sê paciente e dá-me o tempo que preciso para me abrir a ti. Não permitas que te intimide porque se te afastares não terás como saber se valeria a pena.

Podemos sempre reajustar estratégias e mudar mundos, fazêmo-lo porque crescemos e passamos a entender tudo tão melhor. Podemos fazer-nos entender, entendendo o que faz falta ao outro. Podemos procurar a coragem, perseguindo-a caso ameace fugir-nos. Podemos sempre permitir que alguém chegue e se instale, se fizer sentido e se mudar o sentido que a nossa vida tomou, para melhor. Podemos chamar a nós o direito a sermos livres, mas ter ao nosso lado quem entenda a nossa liberdade. Podemos e devemos querer TUDO o q…

Não te quero só nos meus sonhos!

Não te quero sónos meus sonhos, vais ter que fazer parte de tudo o resto. Quero poder sentir-te comigo. Quero que estejas inteira de cada vez que te toco e te faço minha. És a mulher que escolhi, e muito antes de saberes tu, já eu sabia que tinhas tudo o que preciso. Tive a certeza quando te beijei, de forma suave, meiga e com algum receio de que me fugisses e não te conseguisse agarrar mais.

Agora que já nos temos. Agora que cada dia vai chegando para que nos saibamos realmente, mas que ainda te sonho, a dormir e acordado, quero que sejas mais e que rapidamente consigamos galgar todas as etapas que precisamos de percorrer, para que já estejas aqui, na minha realidade.

Tens sido uma descoberta e uma revelação. O teu modo suave e quase de menina que me enlouquece de desejo e me faz querer ensinar-te tudo o que precisas, tudo o que mantiveste escondido à espera de alguém, de mim, para se poder libertar. És a mulher que desejei, que tanto procurei e que por vezes cheguei julgar não exist…

Só pode ser certo se te parecer certo!

Não existem tabelas, nem reguladores de comportamento que nos salvem de nós mesmos. Somos os nossos maiores críticos, mas por vezes usamos de uma benevolência assustadora, transformando o que nos convém em certo e atropelando quem quer que se atravesse no nosso caminho. Não existem receitas milagrosas para que nos tornemos em pessoas melhores, mas o bom senso, uma essência que não se deixou corromper e o saber olhar para quem sentirá dor se for magoado e prazer se for amado, certamente que nos deixará ver para lá de nós.

Só pode ser certo se te parecer certo, mas convém que saibas, mesmo, que ocerto numa relação, terá que o ser para os dois. O certo terá que vos fazer bem, a ambos e não apenas ao que domina porque se colocou no lugar que não lhe cabe por direito. O certo tem um sabor inquestionável e faz sorrir quem aprendeu a amar-nos. O certo não deixa dúvidas, nem poderia, porque os resultados serão de imediato visíveis. O certo permitirá que todas as fantasias se realizem, as que …

Ouvi as ondas do teu mar e estremeci!

Ouvi as ondas do teu mar e estremeci. Tocaram-me, como o fez a tua mão, e foram tão claras e intensas, que quase me ofuscaram. Por alguns segundos, os que permiti, saí do meu lugar e viajei até onde talvez até já tenhas estado. Não te consegui ler, mesmo que os teus olhos se tivessem iluminado quando sentiste vontade de matar a tua vontade de mim. Ouvi a tua voz mais de perto e tive, deste lado da vida que vieste conhecer, mais uns quantos pedaços do que já conseguiste partilhar. Percebi, como conseguem os que estão atentos, que gostaste de gostar de mim.

Por vezes não sabemos como explicar o que representam alguns dos vultos que nos tocam, por que razão se tornam tão claros quando os decidimos mesmo ver e porque parecem ter estado sempre ali. Por vezes é bem maior o que fica por entender, do que tudo o que julgamos já saber. Por vezes, e se não nos soubermos sentir, nunca conseguiremos saber do que é feito o outro.

Tens muito mais mistério do que o que julgaste ver em mim. Tens momen…

Quem não se quer pronto, nunca ficará pronto!

Para que pedes amores que não tens forma de alimentar? Porque gastas o tempo que tens, a tratar mal do tempo que ainda te resta? Porque anseias pelo que nunca conseguirás abarcar?

Quem não se quer pronto, nunca ficará pronto, porque tudo o que fazemos ou deixamos por fazer, será sempre escolha nossa. Quem não tiver o melhor para dar ao outro, deverá deixá-lo livre para que possa ver e reconhecer quem o saiba ter.

Nós somos feitos de momentos, os que já vivemos e os que nos foram interrompidos. Quando estamos em relações que buscámos e sonhámos manter, teremos que nos saber sarar quando terminarem. Muitos de nós, os mais cépticos, acreditam na previsibilidade e quando se deparam com o novo, com o que não controlam, e lamento informar que é quase tudo, perdem o chão, a rota, e deixam-se vaguear por um mundo demasiado grande para os levar em consideração. Quem não se acha, perde-se. Quem não se redirecciona, estagna. Quem não consegue ver para além do amor que já teve, mas que terminou, …

Antes o amor que te tenho, do que não ter amor algum!

Antes querer-te sem te ter, do que nunca te ter querido mesmo que te tivesse. As emoções e os sentimentos que se nos devem colar à pele, só importam enquanto importar quem queremos. Antes noites tristes e cheias de recordações que não se prolongaram, do que nada ter para sentir ou recordar. Antes o amor que te tenho, do que não ter amor algum. Antes saber e recordar o sabor da boca que me terá beijado, muitas e tantas vezes quantas permiti, do que nenhum sabor para comparar.

Podes até ter sido tudo o que já tive, mas não te deixarei a ser apenas o que terei, porque quero voltar a sentir quem me sinta. Quero e preciso de quem me mantenha tão próxima, que afastarmo-nos se tornaria numa dor impossível de suportar. Podes ter conseguido passar-me o que nunca recebi antes, mas depois de ti virá quem prossiga com o que já aprendi a gostar e me dê um pouco mais. Podes, agora, já não te recordar do amor que nos juntou, mas eu vou querer mantê-lo para saber o que fazer com o próximo.

Antes o amo…

Quem é a mulher que escreve?

Quando me ponho com as minhas análises e avaliações, por vezes até me assusto comigo mesma, é que não pareço ter forma de refrear a enxurrada de palavras que compõem o meu mundo, o tal que parece enlouquecer tanta gente.

Em 5 anos de blog já escrevi 3,315 posts e 5 romances, estando o 6º em fase de arranque, mas completamente escrito na minha cabeça. Dois destes já foram reavaliados e reescritos, mas não lhes toco mais, parei de revisar as revisões e já nem os leio para não cair em tentação de acrescentar ou mudar o que quer que seja. Aos outros 2 ainda ando a virar páginas, a reavaliar emoções e a não conseguir entender que sentimentos mexiam comigo na altura. Escrever é o que sei fazer bem. Gosto de comunicar, de largar sons, de os juntar aos lugares e às pessoas com as quais me vou cruzando, se não estiver rodeada de livros, de cadernos com as notas do que pretendo desenvolver, do computador, com todas as teclas em que já martelo até de olhos fechados, não me consigo sentir comple…

Por vezes a vida é como uma canção!

Por vezes a vida é como uma canção, talvez por isso e finalmente o meu coração tenha descansado quando te olhei. Tenho-te aqui e sinto-me arrepiar com o corpo imponente que está em frente ao meu. Não consigo falar, estou do outro lado de mim. Já não me lembro de mais nada para trás, do que sofri, chorei e desesperei. Finalmente sinto o calor da tua mão que segura de mansinho a minha, e a beija. Puxas-me pela cintura, firme e decidido a encostares-te a mim. O teu cheiro invade-me, fecho os olhos e passo para outra dimensão. Esperei tanto por ti, pelos minutos que se iriam seguir ao nosso reencontro, pelo som da tua voz que tantas vezes me embalou, acalmou e fez sentir mais segura. Os teus lábios tocam os meus, quentes e com o sabor que permanece. Beijas-me suave e lentamente. Entras na minha boca, sugas-me o ar e qualquer réstia de dúvida que ainda pudesse ter. Sou tua outra vez, tal como em todos os sonhos em que te senti tão real como agora.

Sorris dando-me força para me soltar, para…

Quem é que te conhece melhor do que tu mesmo?

Quem é que te conhece melhor do que tu mesmo? Responde mesmo que aches descabido, porque a verdade é que a maioria de nós sabe que ninguém entende do que somos, de que forma sentimos, ou o que nos permitimos fazer perante esta ou aquela situação. Passamos mais de metade da nossa vida a escondermos o que carregamos dentro, com medo da vulnerabilidade e com receio de que nos deixem de respeitar. Não falamos de nós e escolhemos os silêncios porque não temos forma de explicar o que nem nós conseguimos. Não vivemos para não atrapalhar demasiado e vemos viver quem gostaríamos de imitar. Não nos engrandecemos e aceitamos que nos diminuam e apaguem. Não nos respeitamos!

O que fazes de ti e contigo se não tiveres amor?

Até para os anti-lamechices a realidade é bem consistente e esfrega-se-lhes na cara diariamente, porque sem amor e sem um relacionamento forte que nos sustente as bases, ninguém é capaz de se manter em pé. Vamos apenas sobrevivendo e carregando o que parece ser uma cruz demasiado…

Não arrisques esperar demasiado...

Se não te impuseres um limite. Se te mantiveres à espera de quem poderá nunca vir, estarás apenas a interromper um percurso que até já havias escolhido!

Não arrisques esperar demasiado. Nunca o faças por ninguém, porque quem não estiver, não ficará, mesmo que tente voltar. 

Não percebes porque é que a vida te testa?

Talvez porque não lhe mostres determinação ou consistência. Talvez porque continues à procura pelas ruas erradas, ou talvez porque a tua teimosia em ver o que não existe, necessite de umas quantas bofetadas.

Não arrisques esperar demasiado por quem nem sabe quem és, como sentes ou amas, e menos ainda por quem te descartar à primeira contrariedade. A pontuação bem usada muda completamente a interpretação de um texto, assim sendo os pontos finais completam o que as reticências deixam em aberto. O que não tiver solução, solucionado está!

Sabes quem é a pessoa mais importante da tua vida? Será que já te consegues responder, ou ainda esperas por mais testes?

Quem poderá ter o melhor de mim?

De que forma consigo dar-me a quem me dá de volta tudo o que preciso? Quem é que acaba a entrar, mesmo, na minha vida, colocando mais do que a ponta dos pés e mostrando-se para que o possa ver? Quem poderá ter o melhor de mim, sem que eu tenha que me provar, a cada dia e sem que me forcem a explicar o que será óbvio para quem me souber ler?

Quem conseguir o melhor de mim não carregará apenas perguntas, até porque as respondo, uma a uma, à medida que vão chegando. Quem não recear para além dos medos que todos sentimos nos recomeços, terá o que já guardo há demasiado tempo e planeio partilhar. Quem se esconde para não sofrer, ou para não ter mais do que consegue suportar, não viverá o que vivo e não provará do sabor que apenas me cabe a mim, porque não existe outro igual. Quem quiser ser quem nunca procurei, mas ainda espero, terá apenas que desejar as mesmas viagens, sobrevivendo às quedas, mas festejando os desafios superados, porque comigo terá realmente muitos. Quem conseguir passa…

Ai o poder de um bom beijo...

Não há mulher que eu conheça, que não goste de ser beijada, e assim se mantêm, para desespero de muitos homens, mas agora vamos lá desenvolver um pouco a coisa. Gostam, gostamos, de ser beijadas sim, mas bem, por favor e se não for pedir muito.

Por isso existem cuidados importantes a ponderar:

- O que comeste antes? Não vale estar a passar sabores e odores daqueles de fazer desmaiar um bode.
- Saliva? q.b. porque é suposto sermos beijadas, não injectadas. Tem que se controlar a quantidade de
  fluido que se passa ao outro, não sejam Boxers.
- CALMA, respirem e deixem respirar, segurem a nuca da mulher, chupem os lábios de mansinho,
   sintam o que está a acontecer.

Meus amigos, um bom beijo opera milagres, deixa qualquer uma pronta para o passo seguinte, mas já um beijo mal dado, arruína tudo, nunca mais voltarão a ter chance e vão ser alvo de publicidade maliciosa durante décadas. Olhem que as más notícias correm rápido!

Não há nada de errado em perceber e admitir que o beijo é bem m…

Decretei que quero ter quem lute por mim!

Fui, bem para lá do meu passado, a única que lutava pelo amor que deveríamos ter tido ambos. Cuidei-te e acalmei-te porque te amava, querendo apenas que me soubesses querer da mesma forma, mas esperando muito pouco. Fui a mãe, a amante e a mulher, tal como aprendi, mas nunca tive em ti o pai, o amante ou sequer o marido. Fui a que sorria, para te tranquilizar, mas que não tinha os sorrisos que me poderiam ter sossegado o coração cansado. Fui TUDO e apenas recebi NADA.

Parei de desculpar quem não tem como explicar o desamor, o desinteresse e a incapacidade de ser o melhor amigo. Deixei de procurar respostas para as perguntas que não sabem como colocar. Deixei de estar no fim da linha e agora sou eu, a primeira e a que importa.

Decretei que quero ter quem lute por mim e não vou mudar uma vírgula, porque quem me quer sabe como vir e mesmo que não consiga, vai ter que procurar, subindo alto ou mergulhando fundo. Decretei e assinei por baixo que a minha fasquia está naturalmente bem em cim…

De que forma se recomeça?

De que forma se recomeça? Gostávamos de saber, todos, como se recomeça e como se consegue evitar os erros do passado. Ninguém gosta de falhar. Ninguém deseja manter o sabor amargo do amor que não bastou. Ninguém quer ouvir repetidas as palavras que magoam tão dentro, que as gravamos na pele e na alma. Ninguém quer ter de olhar para o olhar de quem desiste de nós.

De que forma se recomeça? Não comparando. Não receando o que somos ou sentimos, porque certamente virá quem nos queira, assim, tal xomo nos mostramos. Recomeçamos devagar, mas de forma determinada, entendendo que o tempo é o nosso maior amigo, mas também o pior inimigo. Recomeçamos com o sorriso nos lábios, os mesmos que queremos ver beijados até que as dúvidas se dissipem. Recomeçamos sabendo o que desejamos, mesmo e sem jogar, porque se recomeçarmos dando o que precisamos de receber, nada poderá correr mal.

Quando te sentires pronto para recomeçar, diz-me e eu prometo que iniciarei a viagem contigo!

Afinal somos tão diferentes...

Somos todos tão diferentes. Queremos o que parece tanto a uns e tão pouco a outros, que andar por aqui, apenas respirando e sendo, parece representar um desafio grande o bastante para que muitos se isolem e fujam até de si mesmos. Somos demasiado diferentes por vezes, e a uns quantos não consigo nem ver para onde estão verdadeiramente a olhar. Temos o que falta a quem aparenta ser a nossa metade e não conseguimos o que tanto parece sobrar a quem nunca nos pertencerá. 
Gostava de não gostar tanto de quem nunca pareceu gostar de mim. Gostava de saber desligar e desamar, sem qualquer dor maior, apenas deixando ir e recomeçando logo de seguida. Gostava de apenas poder dizer do que gosto, sem qualquer medo de que deixassem de gostar de mim. Gostava de nunca precisar de me explicar, mesmo que me explique cada dia menos. Gostava de te voltar a ter e aos sonhos que partilhámos, quando sonhar era o que nos mantinha vivos. 
Afinal somos tão diferentes, eu e tu, que não teríamos forma de seguir …

Estou a planear ter-te!

Estou a planear ter-te! Já decidi cada passo. Já escolhi o que fazer contigo. Já comecei a procurar-te, porque sei que existes, é o que me garantes em todos os sonhos nos quais apareces. Já quase que conheço o teu sabor e ele vai certamente misturar-se no meu.

Os meus planos contemplam alguém parecido, na mesma sintonia e capaz de querer o que quero. Os opostos apenas se atraem  na química e nós estaremos para lá do que apenas o corpo entende. Nós vamos entender-nos, mesmo quando nenhum de nós falar.

Estou a planear ter-te, porque quando acontecer já estarei mais do que pronta. Até que chegues vou cuidando de mim, do lugar para onde entrarás e de nós, porque seremos ambos, ao mesmo tempo, capazes de nos termos. Decidi que me vou gerir tal qual uma empresa, com o devido planeamento e total controlo de custos. Terei que te devotar cada uma das horas que manterá os activos em crescimento e juntos, minimizaremos o passivo. Estou a planear-te, porque enquanto o faço, não desespero com a esp…

Aqui estou eu, como se fosse inverno!

Sou o inverno misturado com todo o calor que mantenho bem dentro, para não assustar, mesmo sabendo que o faço, não importa a temperatura. Não fossem os dias mais pequenos e a falta da luz que preciso para renascer das cinzas, e o inverno seria a minha estação de eleição.

Aqui estou eu, como se fosse inverno, porque com ele sossego-me e recolho-me, ainda mais. Gosto da sensação de ter a minha toca e de me refugiar, defendendo-me do mundo lá fora. Fico mais quieta, mais silenciosa, mas produzo melhor e trabalho com afinco e prazer renovado. "Princesa do gelo", foi o nome que usaram para me referenciar. Parece que sou altiva e distante, fria no uso das palavras, intocável para muitos, mas acreditem que o serei apenas para quem não me souber tocar, por dentro, na alma, vazando o mesmo volume de palavras de que sou feita. Difícil? Será certamente, reconheço, mas ainda acredito que chegará quem as tenha em igual proporção, ou que me supere para que também eu prove do meu "ven…

Será que entendeste tudo ao contrário?

Qual foi a parte de mim que não conseguiste ver, quando até sou tão visível? Que sorrisos te enganaram, se até sabes que eu sorrio como respiro? Para que lugar acreditaste que eu teria que fugir, para fugir de ti? Será que entendeste tudo ao contrário, ou será que nunca me chegaste a conhecer?

Quantos passos teremos que dar até conseguirmos estar onde está quem amamos? Porque nos forçamos ao nada que levará tudo o que somos, quando nada de bom poderá vir daí? Que interesse poderemos ter em não sermos interessantes para a única pessoa que nos interessa?

Cada vez sei menos do que sabem os outros e assim mesmo, sei bem mais de mim, sobretudo o que não quero de quem não quer nada de mim. A cada dia que passa, cresço numa sabedoria que me afasta dos que não sabem coisa alguma e assim mesmo se recusam a aprender. Sempre que acordo, prometo-me bem mais do que o dia que terminou. A cada começo de noite olho-me bem no espelho, certa de que terei que me continuar a reconhecer, porque de outra …

Se regressares ao passado, fá-lo sozinho!

O que te couber a ti. Tudo o que precisares de ir procurar, ao que deixaste para trás, fá-lo apenas tu. Seregressares ao passado, fá-lo sozinho e não envolvas mais ninguém, sobretudo quem amas, no emaranhado de vidas, sentimentos e olhares, os que te couberam e os que nunca tiveste. Seregressares ao passado, fá-lo sozinho, até porque mais ninguém entenderá quem eras e o que deixaste de fazer.

A tal da bagagem que carregamos todos, tem o peso que escolhermos atribuir-lhe. Somos nós que fazemos a vida acontecer, ou nos recusamos a vivê-la, vendo-a passar. Os passos que fomos forçados a dar, até por nós, trouxeram-nos até ao aqui e ao agora, mas se sentirmos que devemos viajar no tempo, que seja por um período bem curto, vendo o estritamente necessário e não nos demorando demasiado, porque viver terá que ser no presente, o passado terminou e o futuro não existe, não até que se torne o presente que muitos deixarão para o passado.

Se regressares ao passado, fá-lo sozinho, até porque não pl…

Ao longo do meu dia estás agora tu!

Ao longo do dia, vamos "matando" os momentos mais parados e nos quais podemos voltar a estar intensamente um no outro!

Nunca paramos de nos pensar e acabamos a trocar milhões de mensagens sentidas, cheias de vontade de nos tocarmos, com um desejo que cresce e cresce, sem controlo. Por vezes "gritas-me" para que pare, para que não me carregue demasiado em ti, porque te deixo mal, sensível e a querer voar até mim. Numas quantas sou eu que te digo que estás a ser mau e que assim também não aguento eu. Não deixa de ser um jogo de sedução, de entrega, de procura do que nos faz querer um ao outro, e é importante que aconteça, porque só assim teremos a certeza de que realmente nos faz falta.

Já li e reli um post que escrevi sobre qual seria o meu homem ideal, CARAMBA, não podias estar mais lá, dentro de cada adjectivo e ainda a sobrares para o que falhei acrescentar. Tanto que esperei por ti, chegando até a duvidar de que fosse possível, mas eu sabia que a metade como eu …